Eduardo Leite diz que abriu mão de “salário” de ex-governador do RS

Segundo Eduardo Leite, pela legislação estadual, ele teria direito a receber mensalmente 65% de R$ 40 mil, ou seja, R$ 26 mil.

0

Ex-governador do Rio Grande do Sul e pré-candidato ao mesmo cargo, Eduardo Leite (PSDB) precisou ir às redes sociais para revelar que não vai receber mais o subsídio a que teria direito como ex-gestor estadual. A declaração aconteceu após circular nas redes sociais publicações de que ele teria pedido uma pensão vitalícia.

Segundo Eduardo Leite, pela legislação estadual, ele teria direito a receber mensalmente 65% de R$ 40 mil, ou seja, R$ 26 mil. Isso, pelo exato período em que ele exerceu seu mandato como governador: três anos e três meses.  Na publicação, feita no Twitter, além de explicar sobre o que teria direito, ele reclamou sobre notícias que indicavam que ele teria pedido para receber uma pensão vitalícia no valor R$ 40 mil.

“Mesmo que seja legal, transparente e dentro das regras éticas e morais que sempre me conduziram na vida pública, estou abrindo mão da remuneração a que tenho direito como ex-governador”, disse Eduardo Leite, completando que as publicações foram feitas por pessoas que estão com medo do fato de ele ter voltado ao estado para se candidatar ao governo gaúcho.

“Nem bem eu me apresentei como pré-candidato e já começaram os ataques, as inverdades […] Venho a público para que a gente não dê espaço nenhum para essas narrativas falsas, mentirosas, mal-intencionadas que estão aí plantando”, afirmou Eduardo Leite em um vídeo que foi publicado em sua conta no Instagram e, até a noite desta segunda, já tinha mais de dez mil curtidas e mil comentários.

Eduardo Leite anunciará pré-candidatura ao governo do Rio Grande do Sul
Segundo Eduardo Leite, pela legislação estadual, ele teria direito a receber mensalmente 65% de R$ 40 mil, ou seja, R$ 26 mil. (Foto: reprodução)

Eduardo Leite candidato ao governo

Assim como publicou o Brasil123, Eduardo Leite ficou no comando do estado até o fim de março deste ano. No entanto, ele acabou renunciando ao cargo porque tinha um sonho: ser o representante do PSDB nas eleições presidenciais, mesmo tendo perdido as prévias do partido para o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB).

No entanto, depois de muita polêmica, Eduardo Leite desistiu de seu projeto nacional e voltou ao Rio Grande do Sul onde, agora, vai tentar recuperar o cargo que ele renunciou há um tempo. De acordo com pesquisas de intenções de voto, hoje, ele está empatado tecnicamente com Onyx Lorenzoni (PL), pré-candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) no estado gaúcho.

Leia também: Lula promete fazer em 4 anos mais do que nos 8 anos em que foi presidente

5/5 - (2 votes)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.