‘Se tiver que morrer, que morra o bandido, não o policial’, diz governador de SP

0

Rodrigo Garcia (PSDB), governador de São Paulo, afirmou nesta quinta-feira (05), que defende que as Polícias Militar e Civil devam reagir “com muito rigor” a qualquer criminoso que estiver armado no estado praticando crimes. Essa foi a segunda vez na semana que o governador toca no assunto. Na terça-feira (03), ele disse que o “bandido que levantar a arma para polícia vai levar bala” em São Paulo, que vem registrando uma crescente nos números de assaltos promovidos por motoqueiros disfarçados de entregadores.

Embaixada da Ucrânia quer audiência com Lula após o petista ter criticado o presidente ucraniano

“Quem cometer crime em São Paulo vai ser preso. E bandido que reagir e levantar a arma para polícia vai sim levar bala. Eu prefiro que entre o policial e o bandido, se tiver alguém que morrer, que morra o bandido e não o policial”, disse o governador nesta quinta.

Segundo ele, que fez as declarações durante um evento em São Paulo, realizado para a entrega de apartamentos populares, sua declaração é feita “expressando o sentimento da sociedade”. “Estou dando todo apoio à Polícia Militar e à Polícia Civil para que, dentro da lei, hajam com muito rigor, para que a gente possa ter a proteção da sociedade paulista”, declarou.

Em outro trecho de sua entrevista, Rodrigo Garcia, que assumiu o lugar do ex-governador João Doria (PSDB) e vai tentar se eleger neste ano, afirmou que sua fala é um recado para os falsos entregadores que estão atuando no estado de São Paulo, sobretudo na capital paulista.

“Como governador estou indignado com as cenas que a gente vem assistindo. E cito o caso daquele menino Renan, que perdeu a sua vida por causa de um celular”, disse o governador, completando que mandou “um recado claro para esses falsos entregadores que, de maneira covarde, colocam um capacete e uma mochila de delivery falsa nas costas e comete crimes em SP, que é melhor eles mudarem de estado ou de profissão”.

Rodrigo garcia, governador de são paulo
O governador afirma que sua fala é um recado para os falsos entregadores que estão atuando no estado de São Paulo, sobretudo na capital paulista (Foto: reprodução)

Sindicato dos entregadores e ONGs criticam o governador

Por conta das falas, tanto ONGs como o Instituto Sou da Paz quanto o Sindicato dos Mensageiros Motociclistas, Ciclistas e Moto-Taxistas de São Paulo (Sindmotos-SP), que representam os motoboys que trabalham com entregas, divulgaram notas com críticas ao gestor paulista.

De acordo com essas entidades, as declarações de Rodrigo Garcia podem fazer com que a letalidade policial e a criminalização da categoria dos entregadores que usam motos para trabalhar aumente. Para Carolina Ricardo, que é diretora-executiva do Instituto Sou da Paz, mesmo com o fato de a Polícia Militar ter a prerrogativa garantida por lei de atirar em legítima defesa, a declaração do governador pode ser classificada como “ruim”, “populista”, “desnecessária” e “infeliz”.

Leia também: Daniel Silveira se recusa a receber notificação sobre o uso da tornozeleira

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.