Pastor Silas Malafaia se diz ‘decepcionado’ com ministro André Mendonça

Daniel Silveira foi julgado na quarta por ameaçar ministros do STF e incitar o confronto entre instituições da República e as Forças Armadas

0

Silas Malafaia, um dos pastores mais próximos do presidente Jair Bolsonaro (PL), afirmou nesta quinta-feira (21) que está “terrivelmente decepcionado” com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) André Mendonça que, na quarta (20), votou pela condenação do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PTB).

Em um vídeo publicado nas redes sociais, além de dizer que está “decepcionado” com o ministro-pastor, Silas Malafaia não poupou outro membro da Corte, Alexandre de Moraes, chamando-o de “desgraçado” e “ditador de toga”.

Assim como publicou o Brasil123, Daniel Silveira foi julgado na quarta por ameaçar ministros da Corte e incitar o confronto entre instituições da República e as Forças Armadas. Na ocasião, o parlamentar foi condenado a oito anos e nove meses de prisão e teve o mandato cassado por dez votos a um – Bolsonaro concedeu perdão ao deputado após a decisão.

Apesar de ser aliado e indicado por Bolsonaro, André Mendonça se posicionou pela condenação do deputado, mesmo que com uma pena menor, de dois anos e quatro meses em regime aberto.“Por homicídio se pega seis anos de cadeia. Deputado Daniel Silveira protegido pela constituição (artigo 53) pega oito anos de cadeia. Absurdo dos absurdos!”, afirmou o pastor em sua conta no Twitter.

“Terrivelmente decepcionado com o ministro André Mendonça, que se rende ao ditador da toga [Alexandre de Moraes] e envergonha o povo evangélico”, completou Silas Malafaia em sua rede social.

Em contrapartida, o pastor elogiou Kassio Nunes Marques que, assim como André Mendonça, foi indicado por Bolsonaro: ele foi o único dos onze ministros que pediu a absolvição de Daniel Silveira. “Terrivelmente você me representa”, pontuou o pastor.

Mais declarações de Silas Malafaia

Além das declarações contra André Mendonça, Silas Malafaia chamou os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PL), e o do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD), de “covarde e frouxo”.

Apesar disso, o principal alvo foi Alexandre de Moraes, que segundo ele é um “ditador de toga”. “Mil manobras para condenar o réu em regime fechado e cassar seu mandato: ditador, cretino, desgraçado: julgamento e condenação inescrupulosa que mancha o judiciário brasileiro”, afirmou.

Leia também: Em discurso, Bolsonaro defende ditadores militares e o deputado Daniel Silveira

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.