Eduardo Ramos diz que demissão da Casa Civil foi como ser “atropelado por um trem”

"Eu não sabia, estou em choque. Fui atropelado por um trem, mas passo bem", afirmou Eduardo Ramos, que foi informado por Bolsonaro que será demitido

0

O presidente da república, Jair Bolsonaro (sem partido), disse em entrevista nesta quarta-feira (21) que mudanças nos ministérios seriam divulgadas na próxima segunda-feira (26). Todavia, pelo que parece, o chefe do Executivo não quis saber de esperar, e tratou de adiantar as tais modificações.

Dentre essas alterações nos ministérios, tem-se a iminente demissão do ministro da Casa Civil, general Luiz Eduardo Ramos. De acordo com ele, em entrevista ao jornal “Estadão”, Bolsonaro o enviou um comunicado para avisá-lo que ele deixará o cargo que hoje ocupa.

Segundo Eduardo Ramos, a demissão o pegou de surpresa. “Eu não sabia, estou em choque. Fui atropelado por um trem, mas passo bem”, afirmou o general, que ainda relatou ter passado um bom tempo com o presidente quando ele voltou para o Palácio do Planalto após ter passado alguns dias internado em São Paulo.

Luiz Eduardo Ramos
“Eu não sabia, estou em choque. Fui atropelado por um trem, mas passo bem”, afirmou Eduardo Ramos, que foi informado por Bolsonaro que será demitido. (Foto: reprodução)

Todavia, de acordo com o general, apesar do tempo juntos, em nenhum momento, Bolsonaro mencionou para ele algo sobre uma eventual demissão do comando da pasta. Ainda na entrevista, Eduardo Ramos confirmou que seu substituto na Casa Civil será o senador Ciro Nogueira (PP-PI).

“Eu estava, aliás, ainda estou muito feliz na Casa Civil e dei o melhor de mim. Tanto que estou recebendo telefonemas de parlamentares de vários partidos, em solidariedade. Se eu estivesse sendo trocado por alguém formado em Oxford, ou Harvard, tudo bem, poderiam dizer que falhei. Mas é por um político aliado do presidente, é assim que funciona”, comentou o general.

Por fim, Eduardo Ramos ainda comentou que, apesar dos rumores, não foi informado sobre a possibilidade de passar para a Secretaria-Geral da Presidência, posto atualmente ocupado por Onyx Lorenzoni.

As duas trocas vêm sendo noticiadas pela imprensa. O Brasil123, inclusive, divulgou nesta quarta (21) que Eduardo Ramos ocuparia a vaga de Onyx, que por sua vez, seria deslocado para o Ministério do Trabalho, pasta que foi extinta por Bolsonaro em 2019, mas deve voltar à ativa muito em breve.

Leia também: Bolsonaro estuda recriar o Ministério do Trabalho

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.