WhatsApp responde Bolsonaro e diz que acordo com o TSE não interferiu em decisão de adiar nova ferramenta para o Brasil

Há duas semanas, Bolsonaro criticou o fato de que a empresa anunciou que a ferramenta só seria adotada no Brasil após as eleições

0

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), ouviu nesta quarta-feira (27) de representantes do WhatsApp que o acordo feito com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não influenciou na decisão da empresa, que adiou a implementação de uma nova ferramenta, chamada Comunidades, para o Brasil.

A declaração, de acordo com informações da “TV Globo”, aconteceu durante um encontro de Bolsonaro com os representantes do aplicativo no Palácio do Planalto e teve como tema o recurso do WhatsApp que vai permitir o encaminhamento de mensagens a milhares de destinatários.

Há duas semanas, Bolsonaro criticou o fato de que a empresa anunciou que a ferramenta só seria adotada no Brasil após as eleições. De acordo com o chefe do Executivo, tal fato se daria por conta do acordo do WhatsApp com o TSE, uma violação, segundo o presidente, da “liberdade de expressão”.

As redes sociais e aplicativos de mensagens, como WhatsApp, estão hoje no centro da discussão sobre combate a informações falsas nas eleições. Nesse sentido, assim como publicou o Brasil123, as principais plataformas fecharam acordo com a Justiça Eleitoral com o objetivo de frear a propagação de conteúdos falsos.

Em nota, o WhatsApp confirmou o encontro com Bolsonaro e ainda ressaltou a informação de que a decisão de adiar a implementação do recurso foi tomada exclusivamente pela empresa, “tendo em vista a confiabilidade do funcionamento do recurso e sua estratégia de negócios de longo prazo”.

“Essa decisão não foi tomada a pedido nem por acordo com o TSE”, disse o WhatsApp, completando que vai continuar avaliando o momento exato para o lançamento da funcionalidade no Brasil. “Comunicaremos a data quando estiver definida. Reafirmamos que isso só acontecerá após as eleições de outubro”, completou a empresa.

Leia também: D’Ávila, pré-candidato pelo Novo, afirma que discussão sobre terceira via foi ‘capturada por caciques partidários’ 

5/5 - (2 votes)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.