Vereadores são indiciados por racismo após homofobia em plenário de Goiânia

Conforme as investigações, os vereadores usaram a tribuna da Câmara de Goiânia para disseminar preconceito

0

Quatro vereadores de Goiânia, em Goiás, acabaram indiciados pela Polícia Civil acusados do crime de racismo após discursos proferidos no plenário da Câmara e considerados homofóbicos. De acordo com uma matéria do portal “Metrópoles”, o inquérito foi enviado ao Judiciário em fevereiro, mas somente nesta quinta-feira (21) veio à tona. Ainda segundo a matéria, os vereadores acusados são os seguintes:

  • Cabo Senna (Patriota);
  • Sargento Novandir (Republicanos);
  • Gabriela Rodart (DC);
  • E Thialu Guiotti (Avante).

Conforme as investigações, os vereadores usaram a tribuna da Câmara de Goiânia para disseminar preconceito contra uma propaganda de uma rede de fast food veiculada no Dia do Orgulho LGBTQIA+.

Em uma das ocasiões, Thialu Guiotti disse que “ninguém nasce homossexual”. Além disso, ele também afirmou que ativistas LGTBQIA+ querem “instaurar uma ditadura da opinião e da expressão”. Além da declaração na Casa, o parlamentar foi às redes sociais afirmar que a homossexualidade “não é normal”. “Normal é homem com mulher. Mulher com homem”, disse.

Durante a entrevista ao site, Joaquim Adorno, delegado titular do Grupo Especializado no Atendimento às Vítimas de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Geacri), afirmou que, com o inquérito, concluiu-se que os discursos foram preconceituosos e discriminatórios.

“O limite da liberdade de expressão é o respeito”, afirmou o delegado, completando que, hoje, muitas “pessoas confundem o que é respeito e pensam que podem sair dizendo qualquer coisa”.

“Além disso, nenhum cargo pode ser usado como anteparo para o crime de ódio”, afirmou o delegado fazendo alusão ao entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) que, em 2020, equiparou os crimes de homofobia e transfobia ao racismo.

“Você não é obrigado a gostar de ninguém nem a aceitar, mas é obrigado a respeitar, e o respeito pressupõe nenhuma ofensa, nenhuma desqualificação, nenhuma desumanização, nenhum cerceamento de direitos, nenhuma incitação ao ódio”, afirmou.

Leia também: ‘Cabeça de ovo’: Vice da PGR ri ao ler frase de Daniel Silveira contra Alexandre de Moraes

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.