Vendas de veículos despencam 26,2% em 2020, aponta Anfavea

Produção tem tombo ainda maior, de 31,6%, e retrai 16 anos

2

As vendas de autoveículos registraram fortes perdas de 26,2% em 2020, na comparação com o ano anterior. Este resultado só não foi pior graças ao crescimento de 8,4% registrado em dezembro, quando comparado a novembro de 2020. Aliás, este foi o melhor resultado em vendas de autoveículos no ano passado, chegando a uma média diária de 11,6 mil unidades vendidas, totalizando 243.967 veículos. Apesar do ótimo resultado em relação a novembro de 2020, houve queda de 7,1% na comparação com o último mês de 2019.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou as informações nesta sexta-feira, dia 8. 

Em resumo, o levantamento também mostrou que o mercado interno encerrou o ano alcançando a marcar de 2.058.437 unidades vendidas. Além disso, a produção de veículos alcançou a marca de 209.296 unidades em dezembro. Segundo a Anfavea, este resultado foi uma boa surpresa, mesmo com todos os desafios de logísticas, das limitações de insumos e dos protocolos sanitários. “A indústria fez um grande esforço para atender a demanda, trabalhando aos finais de semana e suspendendo parte das férias coletivas, mas entra em 2021 com os estoques mais baixos de sua história, suficientes apenas para 12 dias de vendas”, destacou o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes.

Já no acumulado de 2020, a produção teve forte retração de 31,6%, passando de 2.944.988 unidades, em 2019, para 2.014.055 autoveículos produzidos em 2020. “As quedas acentuadas, mas não tão drásticas como se projetava no início da pandemia. A grande injeção de recursos emergenciais na economia e a força do agronegócio ajudaram a amenizar as perdas do segundo trimestre, quando boa parte das fábricas e lojas permaneceram fechadas”, afirmou a instituição no relatório.

 

Exportação de veículos também recua

De acordo com a Anfavea, as exportações atingiram um nível realmente ruim em 2020, com uma retração de 24,3%. A propósito, este resultado é o pior desde 2002, o que representa um retrocesso de 18 anos. Em valores absolutos, as exportações geraram uma receita de US$ 7,4 bilhões. Em suma, este resultado ficou abaixo da metade do valor gerado pelas exportações em 2017 (US$ 15,9 bilhões).

Por fim, a Anfavea afirma que, apesar das dificuldades enfrentadas devido a pandemia da Covid-19, houve pontos positivos para o setor em 2020. Por exemplo, injeção de liquidez nas linhas de crédito, abono emergencial e medidas de flexibilização para as indústrias ajudaram a economia, impedindo uma queda maior do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

 

LEIA MAIS

Produção industrial do Brasil cresce 1,2% em novembro e emenda sétima alta seguida

Ibovespa atinge novo recorde intradiário com expectativa de novos estímulos

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.