Sem partido, Bolsonaro desistiu de se filiar ao Patriota, diz presidente afastado da sigla

A sina do presidente Jair Bolsonaro em busca de um novo partido vem se estendendo desde 2019, quando ele resolveu deixar o PSL

0

O presidente afastado do Patriota, Adilson Barroso, disse que Jair Bolsonaro (sem partido), desistiu de se filiar à legenda para tentar a reeleição em 2022 e, com isso, passou a conversar com outras siglas, com o intuito de ter um partido para chamar de seu.

Assim como publicou o Brasil123, Adilson Barroso foi afastado do comando do Patriota por 90 dias após dirigentes da sigla reclamarem das mudanças internas que ele estava promovendo para o ingresso de Bolsonaro.

Segundo ele, em entrevista publicada nesta quarta-feira (21) no jornal “O Globo”, “está ficando tarde” para que ocorra a filiação do mandatário, e que o vice-presidente da legenda, Ovasco Resende, que está interinamente na presidência, também é um empecilho para que isso ocorra.

“Na mão de quem o partido está hoje, Bolsonaro não vai para o Patriota e, do jeito que está andando na justiça, não vai dar tempo de reverter. Para trazer o presidente para o partido, está ficando tarde. Ele já está trabalhando e negociando com outros partidos. Não conto mais com isso”, afirmou o político.

A sina do presidente Jair Bolsonaro em busca de um novo partido vem se estendendo desde 2019, quando ele resolveu deixar o PSL
A sina do presidente Jair Bolsonaro em busca de um novo partido vem se estendendo desde 2019, quando ele resolveu deixar o PSL

Bolsonaro sem partido

A sina de Bolsonaro em busca de um novo partido se estende desde 2019, quando ele deixou o PSL. De lá para cá, o presidente, juntamente com seus aliados, tentou até emplacar uma nova legenda, o Aliança pelo Brasil. Todavia, o partido não foi para frente, pois não conseguiu cumprir os requisitos estabelecidos pela justiça federal

Tempo para se filiar

Para concorrer às eleições, Bolsonaro tem até abril de 2022 para se filiar a algum partido, de acordo com o cronograma do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nesse sentido, a novela da entrada de Bolsonaro em algum partido promete muitos outros capítulos.

Isso porque o presidente já deu a entender que, para se filiar, ambas as partes precisam estar em completa harmonia. Nessa esteira, ele costuma comparar a filiação a um casamento.

“É como um casamento, né? Programado, planejado, para não dar problema, né?”, disse o político no final de maio ao responder o questionamento de um apoiador sobre quando o presidente assumiria um novo partido.

Leia também: Ministra do STF rejeita ação que queria obrigar análise de impeachment de Bolsonaro

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.