Reserva de emergência: como montar e monitorar o dinheiro?

0

O grande endividamento das famílias e o orçamento apertado faz com que guardar dinheiro seja uma tarefa difícil. Contudo, fazer uma reserva de emergência ainda é uma das necessidades básicas de grande parte da população, dado que o valor é fundamental para ter uma vida financeira equilibrada. Apesar disso, esse investimento ainda é pouco popular no Brasil.

Isso porque poucas pessoas já se planejam para investir todos os meses. Por outro lado, o atual cenário da economia favorece os investimentos em renda fixa, dado que as taxas estão em alta. Dessa forma, é a hora perfeita para começar a sua reserva de emergência.

O que é e como fazer uma reserva de emergência?

A reserva de emergência é a porta de entrada para o mundo dos investimentos. Isso porque é preciso guardar dinheiro para os gastos inesperados que possam acontecer. Por isso, não é um dinheiro usado para o longo prazo e, na verdade, deve ser desconsiderado durante a maior parte da sua vida financeira.

Isso porque a reserva de emergência serve para pagar despesas inesperadas, como um pneu furado, um cano que estourou ou até mesmo uma conta que chegou sem ser planejada. Com isso, é um dinheiro para usar na hora que a sua finança pessoal não dá conta de pagar todas as contas. Além disso, não é um dinheiro para ser usado em ativos de risco.

Por conta disso, é um investimento que deve ser feito apenas em ativos de renda fixa. Isso porque você não pode perder dinheiro com esse investimento. Justamente por isso que, também, os rendimentos podem ser menores que ativos mais arrojados do mercado financeiro.

como guardar dinheiro para reserva de emergência - reprodução unsplash
Reprodução Unsplash

Como guardar e monitorar o dinheiro?

Para começar a sua reserva de emergência, o primeiro passo é colocar as contas em dia. Isso porque os juros das dívidas normalmente são maiores que os rendimentos dos investimentos. Após isso, é preciso abrir conta em alguma conta digital ou corretora, que são empresas que dão maior facilidade para acesso ao dinheiro.

Ao investir, é preciso buscar ativos de alta segurança. Para isso, as contas digitais do Nubank, PicPay e até mesmo PagBank são boas opções. No caso de corretoras, o ideal é investir no Tesouro Selic, que tem a garantia do Governo Federal e tem rendimentos sempre positivos. Esses são dois ativos bastante seguros e que estão rendendo mais de 13% no ano.

Depois disso, o ideal é investir todos os meses um pequeno valor do seu salário. Para isso, especialistas sugerem guardar 10% do valor total do seu salário mensal. Além disso, é importante que você entenda que demanda tempo para construir uma reserva de emergência. Após isso, o ideal é juntar de 6 a 12 meses de todos os gastos mensais e evitar retirar esse valor para compras do dia a dia e para outros investimentos e gastos.

A reserva de emergência é o primeiro passo para uma vida financeira tranquila. Apesar disso, poucos brasileiros possuem uma.

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.