Preço do minério de ferro despenca novamente nesta quarta (15)

Cotação em Dalian atinge menor nível dos últimos nove meses; baixa demanda e limitação da produção de aço derrubam preços da commodity

0

O preço do minério de ferro tombou 4,3% nesta quarta-feira (15) na Bolsa de Dalian, na China. Com isso, a commodity encerrou o dia cotado a 693 yuanes. Aliás, durante o pregão, a commodity caiu ainda mais, para 683 yuanes, (ou US$ 106,02 dólares). Esse é o menor nível do minério nos últimos nove meses em Dalian.

Além disso, os preços do minério de ferro spot com 62% de teor de ferro despencaram dois dólares nesta quarta, para US$ 125 dólares, segundo a consultoria SteelHome.

Em resumo, o minério de ferro vem sofrendo fortes quedas em seu valor de mercado nos últimos tempos, desde o final de junho. Diversos fatores contribuem para essa situação. Aliás, esses tombos recorrentes tendem a prejudicar o desempenho de empresas ligadas ao setor no terceiro trimestre de 2021.

Em maio deste ano, o preço do minério bateu recorde, custando US$ 237 por tonelada, o que representava uma disparada de 50% no acumulado do ano. No entanto, essa valorização já foi zerada devido aos fortes tombos da commodity nas últimas semanas.

Veja a variação de outros itens siderúrgicos

Enquanto os preços do minério de ferro caíram, os contratos futuros do carvão metalúrgico de Dalian avançaram 0,3%, para 2.744 iuanes por tonelada. Em contrapartida, o coque encerrou o pregão em queda de 0,2%, para 3.373 iuanes por tonelada. Aliás, vale ressaltar que a produção de coque na China caiu 5% em agosto, na comparação com julho, para 39,67 milhões de toneladas.

Por fim, a China também divulgou nesta quarta-feira os dados da indústria e do varejo referentes a agosto. A saber, a indústria do país cresceu 5,3% em relação ao mês anterior. Embora a alta tenha sido firme, o avanço ficou abaixo do resultado observado em julho (6,4%), na mesma base comparativa, bem como menor que a estimativa de analistas (5,8%). Já os gastos dos consumidores subiram 2,5%, frustrando as projeções de alta de 7% do mercado.

Leia Mais: PIB do agronegócio brasileiro cresce 9,8% no primeiro semestre

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.