Por que a Alemanha esta fornecendo armas à Ucrânia?

0

Após semanas de pressão crescente, o governo alemão agora fornecerá equipamentos militares pesados ​​para a Ucrânia, uma clara mudança de posição desde o início da guerra na Ucrânia, marcando o fim de um compromisso entre os países de não fornecer armas a zonas de conflito ativas que se mantinham em Berlim desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Alemanha em apoio à Ucrânia

O governo alemão confirmou a aprovação  de tanques antiaéreos “Gepard” para a Ucrânia. A ministra da Defesa alemã, Christina Lambrecht, anunciou a medida durante os discursos de abertura na base aérea de Ramstein, na Alemanha, no início de uma conferência de defesa organizada pelos EUA sobre a Ucrânia. “Decidimos que a Alemanha tornará possível a entrega de tanques antiaéreos ‘Gepard’ para a Ucrânia”, disse Lambrecht em uma transcrição de seu discurso vista pela DW. A confirmação veio depois que a mídia alemã informou sobre a mudança.

Sobre o armamento 

O sistema antiaéreo “Gepard” foi desenvolvido nos anos 1960 – 1970, mas foi atualizado várias vezes com a eletrônica mais recente. Os tanques Gepard, muitas vezes chamados “Cheetahs”, podem operar de forma autônoma em todas as condições climáticas, dia ou noite. 

A versão atual pode ser usada para derrubar aviões de combate modernos, mísseis padrão, mísseis guiados remotamente e drones, diz o fabricante. Importante destacar que o exército alemão os tirou de uso há quase uma década, não porque eram obsoletos, mas porque naquela época as Forças Armadas estavam diminuindo e eles não tinham mais uso para isso. Além disso, Lambrecht disse que Berlim estava trabalhando para treinar soldados ucranianos em solo alemão. “Estamos trabalhando junto com nossos amigos americanos no treinamento de tropas ucranianas em sistemas de artilharia em solo alemão”, disse o ministro.

Por que o anúncio é tão significativo?

A invasão da Ucrânia pela Rússia  e a pressão crescente tanto em casa quanto no exterior levou o governo alemão a mudar radicalmente a política de defesa do país. Semanas atrás, o anúncio do tanque do governo alemão teria sido impensável. No final de janeiro, quando a Rússia já havia reunido mais de 100.000 soldados ao redor da Ucrânia e os EUA alertaram para uma invasão iminente, a Alemanha reiterou que não enviaria armas.

Em vez disso, Berlim se ofereceu para enviar à Ucrânia 5.000 capacetes de proteção. Poucos dias antes do anúncio do capacete, Berlim não havia dado permissão à Estônia para enviar velhos obuses alemães para a Ucrânia. Em suma, podemos notar que nos últimos anos, o governo alemão decidiu repetidamente não fornecer armas letais. Há razões para isso, que também são baseadas em todos os desenvolvimentos do país nas últimas décadas.

Ainda mais armamento à Ucrânia estaria por vir? 

Na véspera da reunião de Ramstein, a Rheinmetall, fabricante de armas com sede em Düsseldorf, também solicitou uma licença para enviar armas pesadas para a Ucrânia. A empresa apresentou um pedido ao Ministério Federal de Economia e Tecnologia na semana passada para fornecer à Ucrânia 88 tanques de batalha Leopard de segunda mão, bem como veículos de combate de infantaria, informou a agência de notícias alemã DPA.

No entanto, não está claro qual é a probabilidade de o governo alemão aprovar esses pedidos, mas se o fornecimento dos principais tanques de batalha for aprovado, seria a arma ofensiva mais pesada já fornecida à Ucrânia.

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.