Internação de Olavo de Carvalho em hospital público é investigada por promotoria

Segundo o inquérito, Olavo de Carvalho só poderia ser encaminhado para o hospital sem passar pela central de regulação de leitos em caso de emergência

0

Segundo informações reveladas pelo jornal “Estadão” nesta sexta-feira (16), a Promotoria de Justiça de Direitos Humanos do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) instaurou um inquérito civil a fim de apurar se houve algum tipo de irregularidade na internação do escritor e influenciador bolsonarista Olavo de Carvalho, de 74 anos.

Hoje, o escritor se encontra no Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP que, em nota, confirmou que “o Ministério Público solicitou informações sobre o paciente e que irá prestar todos os esclarecimentos que lhe cabem no prazo estipulado”.

Conforme publicou o “Estadão”, Olavo de Carvalho está internado no local, que integra a rede pública, desde o dia 08, quando teve um “mal-estar súbito” em um voo entre os Estados Unidos e o Brasil. Ainda segundo a reportagem, ele chegou à unidade em uma ambulância Unidade de Terapia Intensiva (UTI) móvel.

No inquérito, o MPSP utilizou informações divulgadas por veículos de imprensa, que informaram que o escritor viria para o País para dar continuidade a um tratamento médico e que ele já tinha uma consulta agendada com um especialista do hospital.

Olavo de carvalho
Segundo o inquérito, Olavo de Carvalho só poderia ser encaminhado para o hospital sem passar pela central de regulação de leitos em caso de emergência. (Foto: reprodução)

Nesse sentido, o órgão afirma que o ponto central do inquérito não é questionar o tratamento do paciente por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), mas sim se a internação foi feita nos moldes corretos. “Busca-se investigar, somente, se efetivamente a situação clínica do paciente era adequada para que fosse atendido, na forma da urgência/emergência, no pronto-socorro do InCor e internado imediatamente naquele hospital”, diz o documento.

De acordo com o inquérito, Olavo de Carvalho só deveria ser encaminhado para o hospital sem passar pela central de regulação de leitos em caso de emergência. Sendo assim, fora de um quadro urgente, o caminho correto para dar entrada em uma unidade do SUS seria por meio de uma Unidade Básica de Saúde (UBS).

“Poderia, portanto, até ser encaminhado ao InCor, desde que sua patologia indicasse este hospital como adequado para seu tratamento. E aguardaria vaga, como fazem todos os pacientes do nosso sistema único”, diz o promotor Arthur Pinto Filho, que é quem assinou o documento do MPSP.

Olavo de Carvalho ativo nas redes sociais

Um fato que chamou a atenção da promotoria foi que Olavo de Carvalho manteve-se ativo nas redes sociais, o que poderia ser um indício de que o quadro não seria tão grave e, consequentemente, o trâmite para que ele estivesse na unidade tivesse sido o errado.

“Há que anotar que, não obstante internado por conta de eventual emergência médica, o paciente continuou e continua bastante ativo em suas mídias sociais, comentando questões políticas, dando notícias acerca de sua situação, etc. Situação bastante peculiar para quem foi internado por estar em situação grave de saúde”, diz o promotor.

Por fim, Arthur Pinto Filho ainda afirma que, “se eventualmente a internação no InCor foi irregular, os gastos do SUS com o paciente deverão ser ressarcidos, além de outras medidas judiciais, sempre por meio de ação civil pública”.

Estado de saúde do escritor

Nesta sexta (16), o hospital divulgou um boletim médico afirmando que o escritor bolsonarista continua internado, mas “evolui consciente, comunicativo e com quadro clínico estável”. Além disso, o texto afirma que Olavo de Carvalho está “sob tratamento medicamentoso para infecção, compensação cardíaca e hemodinâmica”.

Leia também: Pazuello se reuniu com intermediadores que vendiam CoronaVac pelo triplo do preço

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.