Como se comportar em momentos de queda do mercado de ações?

0

Em um minuto, o mercado está quebrando recordes. Em seguida, estamos no meio de uma correção do mercado de ações. Embora a atual pandemia de COVID-19 continue sendo um fator importante na atual volatilidade do mercado, o mercado de ações não precisa de uma pandemia para cair. 

As quedas de mercado são normais e podem ser causadas por uma variedade de fatores. Embora a história possa nos dizer quanto tempo duram os declínios, as correções e os mercados em baixa, ninguém recebe avisos anunciando o momento, a natureza e a magnitude projetada dos declínios futuros. 

O mercado de ações entrará em colapso em algum momento e simplesmente não há como saber quando.

Motivos para a queda do mercado de ações

A bolsa de valores do brasileiro encerrou 2021 com sua primeira queda anual nos últimos seis anos. O principal índice de ações da B3, o Ibovespa, encerrou o ano em 104.107 pontos, acumulando queda anual superior a 12%. Há duas razões pelas quais o mercado de ações brasileiro caiu. A primeira é a situação econômica do Brasil, onde a dívida total do governo, em relação ao PIB, subiu de 74,4% em dezembro de 2019 para 81,12% em novembro de 2021.

Alguns dos fatores negativos do excesso de dívida pública são a redução da poupança, a possibilidade de inflação, a incerteza sobre a solvência e as restrições à política fiscal anticíclica. Além disso, temos o cenário político, com as futuras eleições presidenciais, fazendo com que os investidores fiquem temerosos e optem por tirar o seu dinheiro do país em tempos de incerteza. 

Mar calmo não faz bom marinheiro

Embora a volatilidade possa ser preocupante, venda precipitada quando os mercados caem ou cronometrar uma correção do mercado pode ser um “tiro no pé” para qualquer investidor. Além disso, a queda dos preços das ações pode ser uma excelente oportunidade de compra que os investidores devem aproveitar.

Entender quais os pontos de tensão do mercado e como realizar uma boa alocação, considerando o cenário de baixa,  é de extrema importância, de modo a plantar as sementes e colher ótimos frutos no futuro. Para isso, vamos entender algumas ideias importantes.

Volatilidade é comum   

A primeira coisa a fazer é aceitar a volatilidade do mercado, sendo relativamente comum, como parte normal do processo de investimento e a melhor maneira de vencer a inflação. Em outras palavras, isso significa que os investidores devem permanecer calmos mesmo em movimentos extremos.

Não importa o quanto as ações tenham flutuado nos últimos meses, lembre-se de que os retornos de mercado de longo prazo ainda se baseiam nos mesmos fatores: rendimento de dividendos, crescimento dos lucros e mudanças de avaliação.

Confie em sua carteira

No caso de um crash do mercado, os resultados do seu portfólio podem diferir e podem ter sido melhores se você tiver investido em cestas de classes de ativos diferentes. Portanto, ter uma carteira de ativos diversificada é essencial para reduzir o risco de investimento.

Geralmente, quando a alocação de ativos está indo bem, a melhor coisa a fazer é sentar e confiar que seu portfólio está pronto para enfrentar a tempestade. Você pode experimentar alguns choques dolorosos de curto prazo, mas isso o ajudará a evitar perdas irrecuperáveis ​​em seu portfólio.

Esteja pronto para comprar

Um mercado em baixa pode ser momento para fazer uma fortuna, quando bem executado. O truque é estar preparado para um crash e estar disposto a colocar algum dinheiro para abocanhar um investimento que está caindo de preço.

A chave é ser oportunista em investimentos que você acredita que têm um bom potencial de longo prazo. Por conta disso, mantenha uma “lista de desejos” de ações que você deseja possuir. Reserve algum dinheiro para vendas instantâneas em caso de desastre.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.