‘Bolsonaro, pare de ser chucro’, diz Lula em entrevista

0

Nesta terça-feira (20), o ex-presidente Lula deu uma entrevista à rádio Jovem Pan e aproveitou a oportunidade para falar um pouco sobre o presidente Bolsonaro. Ele não teve escrúpulos ao falar que “Bolsonaro fica dizendo que se for derrotado nas eleições não vai entregar a faixa. Bolsonaro, pare de ser chucro. Pare de ser estúpido. Ninguém quer receber a faixa de você. Pode deixar que o povo vai empossar o presidente eleito em 2022. E não será você”.

Na última segunda-feira (19), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) declarou que não se candidatará em 2022 se o voto impresso não for aprovado para as próximas eleições. “Olha, eu entrego a faixa para qualquer um, se eu disputar eleição… Agora, participar dessa eleição com essa urna eletrônica…”, disse Bolsonaro, dando a entender que pode não se candidatar em 2022.

A princípio, essa declaração também mostra que o presidente recuou em relação a sua outra colocação de 9 de julho, quando ele afirmou se não houvesse a impressão dos votos poderia não haver eleição em 2022.

Depois de se posicionar, Lula ainda elogiou o trabalho da CPI da Covid-19, e parece estar bem otimista com seu andamento: “teremos um veredito: ou impeachment ou interdição”, falou o ex-presidente.

“Que a gente possa continuar demonstrando ao povo brasileiro todas as provas necessárias que o crime teve responsável, que foi o governo brasileiro”, acrescentou Lula.

Em entrevista, Lula fala sobre voto impresso e terceira via para 2022

O ex-presidente tocou em outras temáticas polêmicas, como a questão de uma terceira via que pudesse fazer frente a ele ou a Bolsonaro em 2022. Em sua declaração, Lula falou que “a terceira via é uma invenção dos partidos que não têm candidato. Falam em polarização, [mas] o que tem de um lado é democracia e do outro é fascismo. Quem está sem chance usa de desculpa a tal da terceira via. Seria importante que todos os partidos lançassem candidatos e testassem sua força”.

Além disso, o petista deu seu parecer sobre o voto impresso, alegando que “é uma justificativa de quem não tem o que dizer para o povo”. Na ocasião, Lula também disse que Bolsonaro devia ter preocupações maiores do que esse assunto e “deveria falar como vai gerar emprego, como vai fazer pra colocar comida na mesa do povo”.

Segundo consta na Agência Câmara de Notícias, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19 exige a impressão de cédulas em papel para a votação e apuração de eleições, plebiscitos e referendos no Brasil. O eleitor poderá conferir as cédulas, e depois deve depositá-las em urnas indevassáveis de forma automática, sem contato manual, para fins de auditoria.

Apesar do que alega Bolsonaro, a urna eletrônica tem 9 fases de auditoria durante todo o processo de votação; além disso, todas as fases são auditáveis e os integrantes dos partidos políticos do país podem acompanhar todo o processo. Também é importante recordar que o retorno do voto impresso passou por um teste em 2002 e foi descartado por várias falhas no processo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.