Banco Central: Servidores retomam greve por não ter acordo

Proposta do Governo não foi aceita pelo sindicato

0

Os servidores do Banco Central (BC) retomam nesta-terça-feira (3), por tempo indeterminado, a greve por reajustes salariais e mudanças na carreira.

Essa nova paralisação foi determinada por meio de assembleia deliberativa do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal).

Isso porque o sindicato considera insuficiente a proposta apresentada pelo governo, com um reajuste linear de 5% para todo o funcionalismo federal a partir de julho.

“As razões principais foram o descumprimento, por parte do presidente do BC [Roberto Campos Neto], da promessa de conseguir uma reunião entre o sindicato e o ministro Ciro Nogueira [Casa Civil], a não apresentação de uma proposta alternativa aos 5% [de reajuste] e a não apresentação de uma proposta sobre a parte não salarial de nossas demandas”, afirmou Fábio Faiad, dirigente do Sinal.

Banco Central: Servidores retomam greve por não ter acordo
Banco Central: Servidores retomam greve por não ter acordo – Imagem: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Greve de servidores do Banco Central

Os servidores do BC aprovaram a primeira etapa da greve no dia 1º de abril e o movimento foi suspenso no dia 19, com a condição de que as negociações avançassem.

Sendo assim, o trabalho seguiu no modelo de operação-padrão, com paralizações no período das 14h às 18h.

Os servidores do Banco Central pedem reajuste salarial compatível para repor as perdas inflacionárias nos últimos anos, que chega a 27%.

Além disso, pedem ainda a mudança da nomenclatura de analista para auditor e a exigência de nível superior para o ingresso dos técnicos do BC.

Banco Central aponta saques de dinheiro esquecido

O número é bem baixo, você vai ver. Apesar de ter levado a página do Banco Central a sair do ar por excesso de procura logo no início das consultas, o Sistema Valores a Receber (SVR) terminou a sua 1ª fase com poucos saques.

De acordo com o BC, apenas R$ 321 milhões dos R$ 3,9 bilhões do “dinheiro esquecido” foi sacado pela população, o que corresponde a 8,2% do valor total disponível.

Aliás, a nova fase para consultas ao dinheiro esquecido, que teria início no dia 2 de maio, foi adiada justamente por conta da greve dos servidores.

Por fim, vale destacar que uma nova data ainda não foi divulgada.

Leia também: Auxílio Brasil: Fila de espera chegou à marca de 1 milhão de famílias

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.