Sabatina de André Mendonça, indicado ao STF, acontecerá na próxima semana

André Mendonça, ex-ministro da Justiça, foi indicado por Bolsonaro para o posto de ministro do STF em julho deste ano

0

Demorou, mas o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, finalmente marcou a sabatina do ex-ministro André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo Alcolumbre, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (24), André Mendonça será sabatinado pelo colegiado na próxima semana.

O anúncio de Alcolumbre ocorre após uma pressão, assim como vem publicando o Brasil123, tanto do governo quanto dos senadores aliados de Bolsonaro, que cobravam pela sabatina de André Mendonça, que foi indicado pelo chefe do Executivo ainda em julho.

Apesar da pressão, o senador estava resistindo e não demonstrava interesse em marcar o ato, que é uma prerrogativa dele, presidente da Comissão de Constituição e Justiça, cargo ocupado por ele.

 “Espero que a gente possa fazer na semana do esforço concentrado, além de todas as autoridades no plenário, as outras sabatinas. A gente precisa ter o tempo nesses quatro dias para fazer sabatinas, teve sabatina que durou 18 horas”, começou o senador.

“Quero anunciar que vamos fazer de todas as autoridades que estão aqui”, afirmou Alcolumbre, que ainda relatou que, depois de a sabatina passar pela CCJ, a indicação de André Mendonça passará pelo crivo dos senadores, que votarão se aceitam o ex-ministro no cargo.

André Mendonça, ex-ministro da Justiça, foi indicado por Bolsonaro para o posto de ministro do STF em julho deste ano,
André Mendonça, ex-ministro da Justiça, foi indicado por Bolsonaro para o posto de ministro do STF em julho deste ano. (Foto: reprodução)

Além de André Mendonça

André Mendonça não será o único a ser sabatinado. De acordo com Alcolumbre, a intenção é que pelo menos dez indicados a cargos públicos passem pelo rito durante a próxima semana.

Depois disso, será a vez de Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente do Senado, marcar uma data para que o plenário aprecie todos os indicados. De acordo com ele, a ideia é fazer um esforço concentrado para que a Casa analise e vote indicações de autoridades para cargos públicos já na primeira semana de dezembro.

Leia também: MP denuncia Ricardo Barros por esquema de propina

Avalie o Artigo:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.