Prova de vida 2022: confira mais detalhes e garanta seu benefício

Até dezembro de 2021, a prova de vida não era obrigatória, mas a partir de 2022 ela passou a ser exigida.

0

A prova de vida voltou a ser uma exigência em 2022. Afinal, novo ano, regras novas. Após ter ficado três meses suspenso e ficar um bom tempo parado em função da pandemia da Covid-19, ela agora é exigida.

Sendo assim, agora os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguro Social, INSS, devem ficar atentos a esse procedimento. Isso porque sem esse documento o benefício não será pago.

prova de vida
Imagem: Reprodução / Freepik

 

A prova de vida foi suspensa em 2020, após o decreto de calamidade pública. A suspensão durou até maio de 2021, em função da pandemia. Mas o procedimento foi retomado em junho, porém, suspenso novamente em outubro pelo Conselho Nacional. No entanto, em 2022, ela voltou a ser exigida pelo INSS.

O que é a prova de vida?

Também conhecida como renovação de senha, a prova de vida é um procedimento obrigatório para todos os segurados do INSS que recebem o seu pagamento em conta corrente, poupança ou cartão magnético.

Portanto, os beneficiários precisam comprovar que estão vivos para poderem continuar recebendo o seu pagamento. Para isso, o segurado deve comparecer pessoalmente a uma agência do banco que recebe o pagamento. Caso não possa, há como realizar o procedimento via aplicativo ou dando uma procuração para um representante legal.

Como fazer a prova de vida?

A prova de vida do INSS deve ser realizada pelo banco responsável pelo pagamento do benefício da pessoa. O procedimento pode ser feito no caixa eletrônico, mas usando a biometria. Ainda, é possível ser realizado presencialmente, na própria agência bancária.

Entretanto, há instituições que dão a opção para o beneficiário de fazer a prova de vida pelo internet banking ou aplicativo.

Para os segurados que possuem biometria cadastrada no Departamento Nacional de Trânsito, Denatran, ou no Tribunal Superior Eleitoral, TSE, podem realizar a prova de vida eletronicamente. Além disso, é possível fazer o documento pelo aplicativo do Meu INSS.

No caso dos idosos acima de 80 anos e que possuem dificuldade de locomoção, é possível pedir a visita em domicílio. Portanto, é preciso agendar o horário pelo telefone 135 ou no aplicativo Meu INSS.

Fique atento ao calendário

A fim de evitar aglomerações nas agências bancárias, o INSS recebeu um calendário com um cronograma. Sua base é pelo mês de nascimento de cada beneficiário. Portanto, as datas foram divididas assim:

  • Prova de vida que venceu em novembro de 2020 a junho de 2021 – o prazo final de recadastramento é janeiro de 2022;
  • Documento vencido entre julho e agosto de 2021, o prazo final de recadastramento é fevereiro;
  • As que foram vencidas entre setembro e outubro 2021, prazo final de recadastramento é março;
  • A prova de vida vencida entre novembro e dezembro de 2021 o prazo final de recadastramento é até abril.

Essas informações são da Agência Brasil e INSS.

Quem deve fazer a prova de vida?

Segundo o INSS, em média, 3,3 milhões de pessoas devem fazer a prova de vida entre janeiro e abril de 2022. O documento é referente ao ano de 2021. Os pagamentos das aposentadorias e das pensões começarão a ser suspensos em fevereiro.

É importante lembrar que a falta da prova de vida provoca o cancelamento do benefício do INSS. Entretanto, antes disso acontecer há o bloqueio e a suspensão do pagamento. Quem tiver o benefício suspenso em fevereiro, em função da falta do documento, entrará na fase de bloqueio em até três meses. Portanto, o beneficiário que não fizer a atualização cadastral tem o seu pagamento cancelado em definitivo.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.