Produção nacional de motocicletas dispara 24,2% em 2021

Apesar do forte crescimento em relação a 2020, produção fica 2% abaixo das projeções da Abraciclo; vendas também saltam no período

0

A produção nacional de motocicletas disparou 24,2% em 2021, na comparação com o ano anterior. Isso porque a indústria de motocicletas produziu 1,19 milhão de unidades no ano passado, contra 961.986 unidades em 2020.

A Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) divulgou os dados nesta semana. Aliás, vale destacar que, apesar do forte crescimento anual, o volume da produção ficou abaixo das estimativas da Abraciclo, que apontavam a fabricação de 1,22 milhão de motocicletas no ano.

Em resumo, a pandemia da Covid-19 provocou a paralisação quase total da produção do país em abril do ano passado. À época, o Brasil sofria com a segunda onda de infecções, com altos números de casos e mortes por Covid-19. A propósito, o Polo Industrial de Manaus (PIM) concentra a produção de motocicletas do país.

De acordo com o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, a meta de produção de motocicletas não foi alcançado devido a essa paralisação em abril. No período, cerca de 100 mil unidades deixaram de ser produzidas pelo PIM, segundo Fermanian.

“O maior distanciamento entre as pessoas nos postos de trabalho, por exemplo, aumenta o tempo de fabricação”, explicou o presidente da Abraciclo. E como o Brasil estava implantando restrições nas linhas de produção para conter a disseminação do vírus, as consequências econômicas vieram com força.

Vendas de motocicletas também cresce em 2021

Além disso, a entidade também revelou que as vendas de motocicletas em 2021 cresceram 26,3% na comparação com 2020. A saber, houve 1.156.074 unidades vendidas no ano passado, contra 915.157 motocicletas comercializadas em 2020.

Em suma, o crescimento ocorreu devido à fraca base comparativa, visto que a crise sanitária afetou fortemente o setor em 2020. Aliás, a situação se mostra completamente diferente agora, em que há uma fila de espera de 30 dias para modelos de motocicletas de baixa cilindrada e scooters, segundo Fermanian.

“A tendência para os próximos meses é de normalização. Todas as associadas estão se esforçando para atender ao consumidor que espera, quer e precisa de uma motocicleta nova”, disse o presidente da Abraciclo.

Por fim, as exportações de motocicletas totalizaram 53.476 unidades em 2021, disparada de 58,4% em relação a 2020 (33.750 unidades).

A propósito, a Argentina figurou como o principal destino das motocicletas brasileiras em 2021, respondendo por 28,7% do volume enviado ao exterior (16.119 unidades). O top três contou ainda com a Colômbia, que importou 12.541 motocicletas (22,4% das exportações), e Estados Unidos, com 11.642 unidades e 20,8% do total exportado.

Leia Mais: Auxílio Brasil deverá injetar R$ 84 bilhões na economia, estima CNC

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.