Preço de seguro de automóvel volta a cair em outubro

Índice de Preços do Seguro Automóvel (IPSA) da TEx revela que valor do seguro automotivo ficou R$ 50 mais caro em outubro

0

A empresa TEx atualizou neste fim de semana dados muito interessantes para quem tem interesse em contratar um seguro de automóvel. O levantamento engloba dados da variação mensal dos valores do seguro automotivo de acordo com gênero, faixa etária, região e até idade do veículo. Aliás, estas variáveis são consideradas para definir o valor de um seguro de automóvel.

A saber, o Índice de Preços do Seguro Automóvel (IPSA) revelou que o preço do seguro voltou a cair em outubro após leve alta em setembro. De acordo com a TEx, o IPSA estava fixado em 5,6% em janeiro deste ano. Assim, uma pessoa que contratasse um seguro para um veículo de R$ 50 mil iria pagar R$ 2,8 mil pelo serviço.

Entre fevereiro e agosto, o valor seguiu uma trajetória descendente, chegando a 4,9% em agosto. No entanto, o valor do serviço subiu para R$ 2.550 em setembro, visto que o IPSA avançou 0,2 ponto percentual (p.p.), para 5,1%. Agora, em outubro, o valor recuou 0,1 p.p., para R$ 2.500.

Veja mais detalhes do levantamento da TEx

De acordo com o estudo da TEx, o valor final do seguro automotivo é quase 18% mais caro para homens. Em suma, o gênero possui grande importância para a definição do preço do serviço, pois os homens costumam se envolver em acidentes mais graves do que as mulheres. Aliás, muitos dos acidentes terminam com perda total do veículo.

Em relação à faixa etária, os mais jovens costumam pagar um seguro mais caro. Nesse caso, os que nasceram entre 1990 e 2014, considerados a ‘geração Z’, pagam uma taxa de quase 8,0%. O valor é de aproximadamente o dobro daqueles que nasceram entre 1943 e 1964, os ‘Baby Boomer’.

Além disso, a região onde o motorista reside também pesa para a definição do valor do seguro. Em síntese, as cidades com uma população de 10 a 20 mil habitantes possuem o serviço mais barato, enquanto cidades que tenham entre 100 e 500 mil habitantes têm o seguro mais caro.

Da mesma forma, a idade do veículo também conta para o valor do serviço. A saber, quanto mais usado o veículo, mais caro o seguro. Aliás, o estudo revelou que um carro que tenha de seis a dez anos de uso terá um seguro quase duas vezes mais caro do que o de um carro zero KM. O preço na tabela Fipe e a quantidade de KM rodados também alteram o preço.

Por fim, a empresa TEx é a insurtech líder em soluções online para corretoras de seguros. Na verdade, a TEx desenvolve plataformas online para o mercado segurador. A empresa criou a maior plataforma de seguros do Brasil, a Teleport, e conta atualmente com mais de 20 mil usuários.

Leia Mais: Preços dos combustíveis caem na semana, aponta ANP

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.