PIB do Brasil no segundo trimestre tem 3º pior resultado entre os países do G20

Apenas três países registraram desempenho negativo no período; melhor resultado veio do Reino Unido, aponta OCDE

0

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) revelou nesta quarta-feira (15) que o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro foi o terceiro pior no segundo trimestre entre os países que formam o G20. A saber, o G20 é o grupo dos países mais ricos do mundo.

Em resumo, o PIB brasileiro encolheu 0,1% entre abril e junho deste ano na comparação com o trimestre anterior. Esse desempenho só não foi pior que o do Canadá (-0,3%) e o da Índia (-10,2%). Aliás, a economia indiana sofreu fortemente com os surtos da variante Delta do novo coronavírus. Por isso que o resultado negativo foi tão expressivo.

A média de crescimento econômico do G20 foi de 0,4%. Todos os outros 17 países tiveram resultados maiores que a média, mas as três quedas, em especial a da Índia, limitaram o avanço mensal do G20. A propósito, o G20 não incluiu na lista os PIBs da Argentina, da Rússia e da África do Sul, pois os países ainda não disponibilizaram dados consolidados do desempenho de suas economias no segundo trimestre.

Reino Unido liderou o ranking, com um avanço de 4,8% entre abril e junho deste ano. Na sequência, ficaram Itália (2,7%), zona do euro (2,2%) e União Europeia (2,1%). Outros resultados importantes foram os seguintes: Alemanha (1,6%), Estados Unidos (1,6%), China (1,3%) e Japão (0,5%).

PIB da maioria dos países continua abaixo do nível pré-pandemia

De acordo com a OCDE, o PIB do G20 no segundo trimestre deste ano superou em 0,7% o nível registrado no último trimestre de 2019. Isso aconteceu graças à China, cujo PIB está 8,2% maior que o patamar antes da crise sanitária. A saber, esse foi o quarto trimestre de 2019, que foi o último resultado completo sem impactos da pandemia da Covid-19, decretada em março de 2020.

Embora a média do G20 tenha superado o nível pré-pandêmico, isso não aconteceu com a maioria dos países do grupo. “A maioria dos países ainda está atrasada em relação aos níveis pré-pandêmicos, com a Índia apresentando a maior diferença (menos 8,1%), seguida pelo Reino Unido (menos 4,4%) e Itália (menos 3,8%)”, diz a OCDE.

Por fim, o relatório destacou que o crescimento econômico dos países mais ricos desacelerou no segundo trimestre. Em suma, o avanço passou de 0,9% entre janeiro e março para 0,4% entre abril e junho. A OCDE também ressaltou que houve grandes diferenças entre as economias.

Leia Mais: Prévia do PIB indica alta de 0,6% em julho, aponta Banco Central

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.