Prévia do PIB indica alta de 0,6% em julho, aponta Banco Central

Embora o indicador tenha apresentado o segundo avanço seguido, o BC destaca a desaceleração da recuperação da economia brasileira

0

A atividade econômica do Brasil cresceu 0,60% em julho na comparação com o mês anterior. A saber, os números passam por um ajuste sazonal para que haja “compensação” em relação aos períodos diferentes. Aliás, os dados fazem parte do Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) do Banco Central (BC), divulgado nesta quarta-feira (15).

Em resumo, esse é o segundo resultado mensal positivo do indicador, que é considerado a prévia do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. A propósito, junho chegou ao fim com uma alta de 0,92% do IBC-Br (dado revisado da alta de 1,14% divulgada anteriormente). Embora o índice tenha crescido pelo segundo mês seguido, o BC destaca a desaceleração em relação ao avanço anterior.

Já na comparação com julho de 2020, o IBC-Br cresceu 5,53% após o salto de 9,07% registrado em junho, também no comparativo anual. Vale lembrar que a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou a pandemia da Covid-19 em março do ano passado. Por isso, a base de comparação de 2020 ficou muito enfraquecida, principalmente nos primeiros meses da crise sanitária.

Com o acréscimo do resultado de julho, o IBC-Br subiu para 140,52 pontos. Dessa forma, o indicador continuou acima do nível registrado em fevereiro de 2020 (139,16 pontos), último mês antes da decretação da crise sanitária no mundo. No acumulado do ano, o indicador acumula alta de 6,80%, enquanto que, nos últimos 12 meses, o índice tem alta de 3,26% em relação aos 12 meses anteriores.

Entenda o indicador do BC

A saber, o IBC-Br é uma ‘prévia’ do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Dessa forma, o IBC-Br avalia a evolução da atividade econômica do Brasil e ajuda o Banco Central na tomada de decisões em relação à taxa básica de juros, a Selic.

Com isso, o índice abrange informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos. Assim, o BC contabiliza tudo isso para determinar a prévia do PIB do país, mesmo que não figure como o indicador oficial do país.

Por fim, o BC criou o indicador para realizar um acompanhamento mensal da atividade econômica do país. No entanto, vale reforçar que o indicador oficial é o PIB calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), cuja divulgação acontece de maneira trimestral.

Leia Mais: Energia gerada por termelétricas bate recorde em julho, diz ONS

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.