Nova Iguaçu tem dois candidatos a vereador assassinados em duas semanas

Os dois candidatos já tinham sido presos por outras questões. Mas ainda não se sabe se essas mortes possuem qualquer tipo de relação

2

Mauro Miranda Rocha, de 41 anos e Domingos Barbosa Cabral, de 57 anos. Esses são os nomes de dois candidatos a vereador da cidade de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro. O que eles têm em comum? Eles morreram a tiros na cidade em um intervalo de menos de duas semanas.

Mauro morreu no dia 1 de outubro deste ano. Ele estava na rua quando recebeu vários tiros e foi para o Hospital Geral de Nova Iguaçu. Mas não resistiu e faleceu. Ele era candidato pelo PTC e estava em busca da eleição.

Já Domingos morreu neste sábado (10). Ele estava em um bar na cidade quando percebeu a chegada de homens com capuz de ninjas. O candidato recebeu vários tiros e chegou a ir para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas também não resistiu. Ele era candidato pelo DEM.

Mas essa não é a única coisa que os dois candidatos possuem em comum. De acordo com informações da própria polícia, ambos foram presos em diferentes operações. Ainda não está claro se essas prisões possuem qualquer relação com os dois casos.

Mauro foi preso por porte ilegal de armas e Domingos foi para a cadeia por uma possível relação com milicianos da região. A polícia também não sabe ainda se os dois casos possuem qualquer tipo de relação um com o outro.

Candidatos de Nova Iguaçu

Seja como for, o fato é que a Polícia Civil afirma que não está tirando nenhuma conclusão precipitada sobre esses dois casos. Os agentes afirmam que estão realizando as investigações e pediram ajuda da população para encontrar os assassinos.

Vale lembrar que ajudar a polícia não significa fazer justiça com as próprias mãos. Além de ser crime, isso é perigoso. A polícia orienta apenas que entregue informações que possam ajudar os agentes competentes no processo em questão.

2 Comentários
  1. […] está neste momento montando uma força tarefa para tentar descobrir o que está por trás dos assassinatos de candidatos a vereador na Baixada Fluminense. Ao menos dois morreram desde o início de […]

  2. […] está intensificando essas relações da milícia com a política carioca. Principalmente depois do assassinato de dois vereadores na região da Baixada Fluminense em um intervalo de menos de 20 dias. A Polícia suspeita que os dois casos tenham alguma […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.