Ministro diz quando novo presidente da Petrobras será nomeado

A expectativa é que Caio Mario Paes de Andrade, o indicado para ser o novo presidente da Petrobras, assuma o cargo ainda nesta semana

0

Adolfo Sachsida, ministro de Minas e Energia, afirmou nesta segunda-feira (20) que a Petrobras deve ficar poucos dias sem presidente.  A declaração acontece porque, também nesta segunda, José Mauro Coelho, que era o chefe da estatal, renunciou ao cargo. De acordo com a Adolfo, a expectativa é que Caio Mario Paes de Andrade, o indicado para ser o novo presidente da empresa, assuma o cargo ainda nesta semana.

Em entrevista ao portal “Metrópoles”, o ministro comentou sobre a Petrobras, empresa vinculada ao ministério de Minas e Energia, dizendo que Caio Mario Paes de Andrade deverá ser nomeado “em dois ou três” dias.

A nomeação não é instantânea porque, antes, é preciso que o nome do executivo seja aprovado pelo conselho de administração da Petrobras, fato este que, segundo o governo, deve acontecer nos próximos dias.

Assim como publicou o Brasil123, Caio Mario Paes de Andrade foi indicado no mês passado para ser o novo presidente da Petrobras. O executivo é atualmente secretário de Desburocratização do Ministério da Economia, posto que deixará após assumir oficialmente a presidência da Petrobras.

O executivo, indicado para ser o novo presidente da Petrobras, é atualmente secretário de desburocratização do Ministério da Economia
O executivo, indicado para ser o novo presidente da Petrobras, é atualmente secretário de desburocratização do Ministério da Economia. (Foto: reprodução)

O indicado ainda não assumiu a estatal por questões dos trâmites burocráticos. No entanto, agora, depois da saída oficial de José Mauro, a expectativa é que o processo para que ele possa finalmente presidir a companhia seja encurtado, visto que, segundo o estatuto da empresa, em caso de renúncia, o nome do próximo presidente pode ser aprovado independente da realização da assembleia de acionistas.

Caio Mario Paes de Andrade será o quarto presidente durante a gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL), que demitiu os outros chefes da empresa logo após a estatal ter anunciado o aumento no preço dos combustíveis. Nos próximos dias, sem o novo chefe da empresa, a Petrobras terá como presidente interino Fernando Borges, que hoje ostenta o cargo de diretor-executivo de Exploração e Produção da empresa.

Leia também: CPI da Petrobras pode acabar se tornando um ‘tiro no pé’ do governo; entenda

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.