Ministro da Fazenda na Colômbia renuncia após protestos e mortes

2

Já fazem mais de seis dias seguidos que a Colômbia passa por intensos protestos, independente do horário ou do local. Na madrugada de hoje (04), os policiais tiveram que fazer o uso de fogo para conseguirem controlar os manifestantes. Uma das principais polêmicas é a possibilidade de aprovação da Reforma Tributária. 

A reforma prevê o aumento dos impostos, ainda maiores do que já estão. Contudo, apesar dos preços abusivos e tributações cobradas pelo governo Duque, a população não está sentindo esse retorno: pelo contrário, somente em 2021 mais de 3,6 milhões de pessoas passaram a viver em zonas de pobreza e níveis precários. As classes baixas e médias são as mais prejudicadas.

Alberto Carrasquilla, ministro da Fazenda na Colômbia, renunciou ao seu cargo na segunda-feira (03) após protestos intensos que deixaram mais de 100 feridos. Foi um dia depois do presidente Duque retirar o projeto de reforma tributária. 

“Minha continuidade no governo dificultaria a construção rápida e eficiente dos consensos necessários para levar adiante outro projeto de reforma“, afirmou Carrasquilla, em sua carta de renúncia a Duque.

Carrasquilla era contra a aprovação dos novos projetos que estavam em andamento. Para substituir o cargo, entrou José Manuel Restrepo, que era o antigo ministro do Comércio na Colômbia. 

De acordo com o portal da RT, a renúncia também foi motivada pelas 19 mortes que aconteceram nos últimos dias. Segundo o ministro, essas consequências são inadmissíveis. 

Quem financiou os protestos na Colômbia?

Muitos políticos da Colômbia argumentam que o grupo tenha sido financiado pelas Farc, Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. As Farc têm o intuito de transformar a Colômbia em um país socialista para depois chegar ao ápice do comunismo.

O grupo de esquerda teria parado de atuar em 2016, mas ainda têm muitos foragidos em florestas tanto colombianas quanto brasileiras. Durante a Guerra Fria, foram financiados pela União Soviética que mais tarde se tornaria a Rússia. 

Eles são a principal oposição do governo e acusam que Duque olhe apenas para os interesses dos mais ricos, sem levar em consideração as classes mais baixas da população. 

Leia Também:

2 Comentários
  1. […] semana, o ministro da Fazenda renunciou após saber a quantidade dos dados de vítimas. Há duas semanas, o EL País publicou que o […]

  2. […] Leia mais: Ministro da Fazenda na Colômbia renuncia após protestos e mortes […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.