Ministério da Economia recebe pedido para inclusão da Petrobras em lista de estudos para privatização

No documento, o Ministério de Minas e Energia listou inúmeros acontecimentos para defender a privatização da Petrobras

0

O Ministério da Economia recebeu da pasta de Minas e Energia um pedido formal para que haja a inclusão da Petrobras em uma lista de estudos para uma possível privatização. De acordo com o portal “UOL”, o documento foi enviado na segunda-feira (30).

Pesquisa mostra que inflação pode mudar voto de três a cada dez brasileiros

Conforme publicou o Brasil123, assim que assumiu o Ministério de Minas e Energia, Adolfo Sachsida afirmou que pediria estudos ao governo sobre a eventual privatização tanto da Petrobras quanto da Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA).

Na última sexta-feira (27), o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), assinou um decreto que incluiu a Pré-Sal Petróleo S.A. no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), responsável por gerir os projetos de privatização e concessão – Hoje, o PPI, que é vinculado ao Ministério da Economia, tem como presidente Paulo Guedes, chefe da área econômica do Brasil.

Já na segunda, o Ministério de Minas e Energia pediu a inclusão da Petrobras no PPI. Para que isso seja possível, é necessário que o Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos aceite a recomendação e que também seja publicado um decreto assinado por Bolsonaro.

Em nota, o MME disse que a “qualificação da Petrobras no PPI tem como objetivo dar início aos estudos para a proposição de ações necessárias à desestatização da Empresa, os quais serão produzidos por um comitê interministerial a ser instituído entre o Ministério de Minas e Energia e o Ministério da Economia”.

Ainda no documento, o ministério afirmou que a proposta acontece devido a inúmeros acontecimentos, sendo eles:

  •  A conjuntura energética corrente;
  • A situação geopolítica mundial;
  • As discussões sobre o ritmo da transição energética;
  • E o realinhamento global dos investimentos.

Para a pasta, a privatização é fundamental para atrair investimentos para o País e para criar um mercado plural, dinâmico e competitivo. Na visão do ministério, isso “promoverá ganhos de eficiência no setor energético e uma vigorosa geração de empregos para os brasileiros”.

Bolsonaro diz que é preciso respeitar o livre mercado, mas ressalta que ‘Petrobras abusa’

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.