Investimentos estrangeiros no Brasil somam US$ 2,493 bilhões em outubro

Valor é o menor desde junho deste ano (US$ 693 milhões); BC projeta entrada de US$ 55 bilhões no país em 2021

0

O Investimento Direto no País (IDP) atingiu a marca de US$ 2,493 bilhões em outubro deste ano. A saber, o valor ficou 20% menor que o registrado no mesmo mês de 2020 (US$ 3,136 bilhões). Aliás, esse também é o menor patamar desde junho deste ano, quando os investimentos totalizaram US$ 693 milhões.

Com o acréscimo deste resultado, o ingresso de investimentos externos na economia brasileira agora totaliza US$ 45,788 bilhões entre janeiro e outubro de 2021. Isso representa um aumento firme de 33,3% em relação ao mesmo período do ano passado (US$ 34,352 bilhões).

O que explica o aumento expressivo é a base comparativa fraca. A saber, os investimentos no país afundaram no ano passado por causa da pandemia da Covid-19. Por isso que o aumento anual é bem firme. Já na comparação com o mesmo período de 2019, quando não havia pandemia, o valor está quase 30% menor.

Estes dados fazem parte do levantamento feito pelo Banco Central (BC), cuja divulgação ocorreu nesta quinta-feira (25). De acordo com o BC, o montante registrado no ano cobre com folga o rombo de R$ 15,783 bilhões nas contas externas no ano.

Balança comercial ajuda a reduzir rombo das contas externas

Aliás, o que reduziu o rombo no período foi um déficit menor da conta de serviços, bem como a realização de menos gastos no exterior do que a média. Ao mesmo tempo, o superávit de US$ 2 bilhões da balança comercial brasileira em outubro, apesar de menos expressivo que resultados anteriores, impulsionou as contas externas no mês.

Em síntese, o país precisa encontrar outras formas de cobrir o déficit quando os investimentos estrangeiros não conseguem fazer isso. Para fechar as contas, o país recorre ao ingresso de recursos para aplicações financeiras ou busca empréstimos no exterior, por exemplo.

A saber, o resultado das transações correntes consiste em: balança comercial (comercialização de produtos entre o Brasil e outros países), serviços (adquiridos por brasileiros em outros países) e rendas (juros, lucros e dividendos para o exterior).

Veja detalhes das contas externas do Brasil

Em suma, os investimentos estrangeiros afundaram 50,6% em 2020, totalizando US$ 34,167 bilhões. Aliás, este foi o pior resultado desde 2009, quando o país registrou US$ 31,480 bilhões em IDP. Vale destacar que a pandemia da Covid-19 elevou exponencialmente os gastos em 2020.

Por sua vez, o rombo das contas externas despencou 75,3% no ano passado, recuando para US$ 12,517 bilhões. A propósito, este foi o melhor resultado anual desde 2007, quando houve um superávit de US$ 408 milhões. Como a crise sanitária afetou fortemente o turismo, muitos brasileiros não viajaram para o exterior, reduzindo também os gastos com serviços adquiridos em outros países.

Por fim, o BC estima que haja um ingresso de US$ 55 bilhões em investimentos estrangeiros no Brasil em 2021, valor 60,97% maior que o registrado no ano passado (US$ 34,167 bilhões). Dessa forma, o banco acredita na proficiência do país em fechar as contas do ano. Apesar de expressiva, a projeção do BC recuou em relação a agosto, quando o banco estimava um ingresso de US$ 60 bilhões no país em 2021.

Leia Mais: Gastos de brasileiros no exterior somam US$ 531 milhões em outubro

Avalie o Artigo:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.