Ibovespa cai nesta terça (14), puxado pelas preocupações globais

Presidente do BC afirmou que Selic não subirá a cada novo dado divulgado, o que fez Ibovespa avançar, mas temor externo derrubou índice

0

O Ibovespa se encaminhava para o seu segundo avanço consecutivo nesta terça-feira (14). No entanto, o sentimento global falou mais alto e as preocupações derrubaram o índice, que fechou o pregão em queda de 0,19%, aos 116.181 pontos. Na parcial de 2021, o Ibovespa tem perdas de 2,38%.

No dia, os investidores se aninaram com as declarações do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto. De acordo com ele, o BC fará o possível para segurar a inflação do Brasil, mas isso não quer dizer que o banco mudará o plano de ação a cada novo dado divulgado.

Isso fez os analistas repensarem no quanto o BC irá elevar a taxa básica de juros do país, a Selic. Em suma, a elevação da Selic impulsiona os juros praticados no Brasil, reduzindo o poder de compra do consumidor. Assim, desaquece a economia e impede a alta da “inflação por demanda”.

A propósito, quanto mais juros o Brasil praticar, mais atraente fica a renda fixa, em detrimento dos investimentos variáveis. Contudo, como Campos Neto sinalizou que o BC não elevará a Selic a torto e a direito, os investidores se sentiram confiantes em ir às compras.

Entretanto, o que mais pesou no pregão foram as preocupações dos mercados externos com a recuperação econômica global. Em resumo, a pandemia da Covid-19, que afetou fortemente o planeta em 2020, continua impactando os países neste ano.

A saber, a Delta, variante mais transmissível já sequenciada do novo coronavírus, segue elevando os casos e mortes no mundo. A expectativa em torno da recuperação dos países esbarra na adoção de novas medidas restritivas para conter a disseminação da Covid-19. E isso faz a retomada econômica global ficar cada vez mais fraca.

49 das 91 ações do Ibovespa caem nesta terça

No final do pregão, as preocupações globais falaram mais alto e o Ibovespa caiu levemente. Das 91 ações que compõem a carteira do índice, 49 terminaram o dia no vermelho. Ao todo, entre compras e vendas, movimentaram R$ 19 bilhões, valor bem menor que a média diária de 2021, de R$ 23 bilhões.

Entre os avanços do dia, os mais expressivos ficaram com: Méliuz ON (15,10%), Locaweb ON (8,21%), Cosan ON (3,89%), Petz ON (3,89%) e Eneva ON (3,42%). Por outro lado, os tombos mais intensos vieram de: Dexco ON (-3,07%), CVC Brasil ON (-2,93%), BRF ON (-2,89%), Cielo ON (-2,79%) e Ultrapar ON (-2,55%).

Por fim, vale ressaltar que o recuo do Ibovespa aconteceu graças às quedas registradas por gigantes do índice. Em primeiro lugar, as ações da mineradora Vale, com seus 14% de fatia do índice, caíram 0,71%. Já a Petrobras, que detém 9% do Ibovespa, recuou, em média, 1%. Como as empresas detém grande parte do índice, seus movimentos afetam mais fortemente a trajetória do Ibovespa. E foi isso o que aconteceu hoje.

Leia Mais: ‘Barulho político’ impede queda do dólar, diz Paulo Guedes

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.