Golpista é enganado e deposita dinheiro para vítima na Bahia

O golpista foi enganado pela mulher que, após perceber que o criminoso não era seu filho, o persuadiu e conseguiu uma recarga de celular grátis

0

O feitiço virou contra o feiticeiro em Salvador, na Bahia. Por lá, um criminoso tentou aplicar um golpe por um aplicativo de mensagens, mas acabou transferindo dinheiro para a vítima. De acordo com Erica Soledade, o bandido pediu mais de R$ 2 mil para ela, se passando por seu filho.

Todavia, Erica notou que era um golpe, pois já havia passado pela mesma coisa, e começou a interagir com o suspeito. Em entrevista ao jornal “BA Meio Dia”, a mulher revelou que o fato de seu filho estar em casa ajudou ela a notar que a conversa não era com ele.

“Por coincidência meu filho estava em casa. A gente começou a dar assunto e a alimentar a situação para tentar pegar ele, porque estava sendo muito corriqueiro. Tentamos reverter a história e decidimos pedir dinheiro para o criminoso”, disse a mulher.

De acordo com Erica, a ideia foi fazer com que o criminoso criasse confiança e passasse a crer que ela faria mesmo a transferência solicitada. “Eu falei que estava sem crédito, que precisava de dinheiro para botar crédito, pois só conseguiria fazer a transferência quando chegasse em casa”, comentou.

Após as trocas de mensagens, o golpista acreditou na história da mulher e, pensando que ganharia os R$ 2.350,00 que havia solicitado, acabou colocando crédito no celular de Erica, assim como ela pediu.

O golpista foi enganado pela mulher que, após perceber que o criminoso não era seu filho, o persuadiu e conseguiu uma recarga de celular grátis
O golpista foi enganado pela mulher que, após perceber que o criminoso não era seu filho, o persuadiu e conseguiu uma recarga de celular grátis. (Foto: reprodução)

Tentativa de golpe constante

Segundo a mulher, essa foi a terceira vez que entram em contato com ela para tentar este golpe. Em outro momento, relata a vítima, a foto do filho foi copiada de uma rede social e usada pelo criminoso que tentou se passar pelo jovem.

“Quando você fala que é um golpe, ele começa a usar seus dados pessoais, o que te deixa muito vulnerável. Ele fala o nome da gente, endereço antigo, endereço atual. Eu entrei em um quadro de pânico naquele momento […]  qualquer pessoa é capaz de ceder ao que eles pedirem”, disse Erica.

Ainda durante a matéria do jornal “BA Meio Dia”, Arthur Igreja, especialista em tecnologia, revela dicas de como não cair nesse tipo de golpe. “Mande mais mensagens, tente validar e, principalmente ligue, peça áudio e você vai ver que o golpista não fazer nada disso”, disse ele, que ainda recomenda que, após isso, a solução é indicar esse golpe ao WhatsApp e também registrar um boletim de ocorrência para que o criminoso seja investigado e identificado.

Leia também: Homem é preso após incendiar seis veículos em BH

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.