EUA irá liberar 50 milhões de barris de petróleo

0

O Governo dos Estados Unidos da América (EUA) anunciou esta semana que irá liberar 50 milhões de barris de petróleo oriundos das reservas estratégicas. O intuito da medida é resolver o descompasso entre a oferta e demanda da commodity, possibilitando a redução dos preços no mercado internacional. 

 

EUA irá liberar 50 milhões de barris de petróleo
EUA irá liberar 50 milhões de barris de petróleo. (Imagem: G1)

 

A iniciativa foi divulgada por meio de um comunicado da Casa Branca, e costuma ser feita em conjunto com outros países consumidores de petróleo, como a China, Índia, Japão, Coreia do Sul e o Reino Unido. Em nota à imprensa, a Casa Branca alegou que os consumidores americanos sentem o impacto dos altos preços da gasolina nas bombas.

Isso porque, em meio à tentativa de retomada econômica, o fornecimento do petróleo não acompanhou a demanda. Recentemente, os valores do petróleo Brent, negociado em Londres, e do WTI comercializado em Nova York e, em determinadas ocasiões, chegaram a custar mais de US$ 80 por barril. O movimento aconteceu em meio à alta da demanda, com o fim de boa parte das restrições de mobilidade impostas para conter a pandemia da Covid-19, bem como a lenta retomada da produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

Desde que os EUA começaram a se empenhar para reduzir os preços e se tornarem mais evidentes, o preço do barril passou para menos de US$ 80. “É por isso que o presidente Joe Biden está usando todas as ferramentas disponíveis para reduzir os preços e resolver a falta de oferta da commodity. O presidente tem trabalhado com países em todo o mundo para lidar com a falta de oferta à medida que o mundo sai da pandemia”, relata um trecho do documento. 

Segundo a Casa Branca, a liberação da commodity no mercado deve acontecer de dois modos. O primeiro envolve 32 milhões de barris e serão liberados nos próximos meses por meio de uma espécie de troca, isso quer dizer que o volume eventualmente voltará à reserva estratégica. O documento explica que a troca é uma ferramenta compatível com o ambiente econômico específico de hoje. 

É onde os mercados esperam otimistas que os futuros valores do petróleo sejam inferiores aos atuais e ajuda a promover um alívio imediato aos americanos e a fazer uma ponte para esse período de preços mais baixos que o esperado do petróleo. 

Além do mais, 18 milhões de barris serão liberados através da venda de petróleo autorizada recentemente pelo Congresso Americano. “O presidente está pronto para tomar medidas adicionais, se necessário, e está preparado para usar toda a sua autoridade trabalhando em coordenação com o resto do mundo para manter o abastecimento adequado enquanto saímos da pandemia”. 

A Índia afirmou que irá liberar cinco milhões de barris de sua reserva própria, e o Reino Unido mais 1,5 milhão de unidades. Já os demais países não indicaram a extensão da medida. Ainda assim, os EUA possuem as maiores reservas estratégicas de petróleo do mundo, com capacidade de armazenar até 714 milhões de barris. Até o mês de setembro, os reservatórios haviam consumido em todo o país durante um mês, de acordo com os níveis de 2019.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.