EUA registra queda nos pedidos de seguro desemprego após 52 anos

0

Os dados referentes aos pedidos do seguro desemprego tiveram uma queda nos Estados Unidos da América (EUA) após 52 anos. Segundo informações do próprio governo norte-americano, a maior margem de pedidos havia sido registrada no ano de 1969, sendo reduzida drasticamente na última semana, reforçando a firmeza do cenário econômico estadunidense. 

 

EUA registra queda nos pedidos de seguro desemprego após 52 anos
EUA registra queda nos pedidos de seguro desemprego após 52 anos. (Imagem: Reprodução/Google)

 

Os primeiros pedidos do seguro desemprego apontaram o recuo inicial de 71 mil para 199 mil, por meio de informações editadas sazonalmente e encerradas no dia 20 de novembro. As informações são do Departamento do Trabalho, publicadas na última quarta-feira, 24. Este foi o patamar mais baixo desde meados de novembro de 1969. 

No entendimento de economistas entrevistados pela Reuters, a projeção girava em torno de 160 mil pedidos na última semana. As solicitações do seguro desemprego começaram a cair no mês de outubro deste ano, ainda que o ritmo desta queda tenha sofrido um recuo nas últimas semanas. O motivo está relacionado ao fato de que os pedidos se assemelham à média pré-pandemia, de aproximadamente 220 mil. 

O relatório foi divulgado na íntegra antes do previsto em virtude do feriado de Ação de Graças, celebrado nos Estados Unidos da América nesta quinta-feira, 25. É importante ressaltar que os dados podem ser alterados durante a temporada de festas de fim de ano, a redução bateu um recorde de 6.149 milhões no início de abril de 2020. 

Agora atingiram uma faixa considerada consistente e em saudáveis condições do mercado de trabalho, ainda que a intensa escassez da mão de obra provocada pela pandemia esteja impedindo um crescimento mais rápido do emprego. 

No geral, foram criados uma média de 582 mil postos de trabalho mensalmente no decorrer de 2021. Somente no final de setembro, havia 10,4 milhões de vagas de emprego abertas. A força de trabalho ainda foi reduzida em três milhões de pessoas ante o patamar pré-pandemia, ainda que com o término dos generosos benefícios custeados pelo Governo Federal dos EUA, a reabertura das escolas para o aprendizado e um aumento salarial para as empresas. 

A queda consistente nos pedidos de seguro desemprego está vinculada aos dados de vendas no varejo, bem como a produção industrial nos EUA. Isso porque, há a previsão de que a economia está retomando gradativamente o fôlego no quarto trimestre do ano, após uma desaceleração entre julho a setembro, época em que os casos de coronavírus explodiram durante o verão no hemisfério norte, enquanto a escassez se generalizou.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.