Eleições 2022: pesquisa mostra que Lula continua à frente de Bolsonaro

Lula continua à frente de Bolsonaro tanto no cenário "estipulado" quanto no "espontâneo". A desaprovação do presidente na pandemia aumentou

0

Uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (05) pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) revelou mais uma rodada das famosas pesquisas de opinião sobre as intenções de voto para presidente nas eleições de 2022.

PGR não denunciará Bolsonaro, acredita Planalto, mas plano B já existe

De acordo com o levantamento, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua na frente de Jair Bolsonaro (sem partido) em todos os cenários explorados pela CNT.

Segundo a confederação, na pesquisa espontânea, que é quando o próprio entrevistado diz em quem votaria, o ex-presidente aparece com 27,8% das intenções. Já Bolsonaro acumula 21,6%.

Por outro lado, a diferença entre os dois cresce quando a pesquisa explora uma lista de possíveis candidatos. Neste levantamento,  Lula aparece na frente com 41,3% e seguido por Bolsonaro, em segundo lugar, com 26,6%.

Veja os resultados

Pesquisa de intenção de voto espontânea

  • Lula 27,8%;
  • Jair Bolsonaro 21,6%;
  • Ciro Gomes 1,7%;
  • Sérgio Moro 0,7%;
  • João Doria 0,7%;
  • Outros 1,5%;
  • Branco/Nulo 7,1%;
  • Indeciso 38,9.

Estimulada

  • Lula 41,3%;
  • Jair Bolsonaro 26,6%;
  • Ciro Gomes 5,9%;
  • Sérgio Moro 5,9%;
  • João Doria 2,1%;
  • Henrique Mandetta 1,8%;
  • Branco/Nulo 8,6%;
  • Indeciso 7,8%;

Aprovação de Bolsonaro na pandemia

Para muitos especialistas em política, a pandemia da Covid-19 e todos os escândalos revelados na CPI da Covid-19 podem enfraquecer, ainda mais, a gestão de Bolsonaro.

Nesse sentido, o levantamento da CNT mostrou que o número de pessoas que desaprovam a atuação de Jair Bolsonaro na pandemia vem aumentando consideravelmente nos últimos meses.

Prova disso é que, em fevereiro deste ano, 42% dos entrevistados reprovavam o trabalho de Bolsonaro na pandemia. Agora, passado cerca de quatro meses, este percentual saltou para 57,2%.

Os entrevistados também foram questionados sobre quem seria o principal responsável pela demora na vacinação contra a Covid-19:

  • 49% apontaram Bolsonaro;
  • 24,3% “Todos eles – presidente, governador e prefeito”;
  • 8,1% “nenhum deles”;
  • 5,6% culpam o governador de seu estado;
  • 5,2% avaliam que não houve demora;
  • 1,4% culpam o prefeito;
  • 1,9% apontam a responsabilidade a “outros”;
  • E 4,4% não souberam ou não responderam.

De acordo com o CNT, para chegar aos dados apresentados, os profissionais da confederação  entrevistaram 2002 pessoas, de forma presencial, entre as últimas quinta-feira (1) e sábado (3).

Leia também: Bolsonaro participava de esquema ilegal de rachadinha, indicam áudios

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.