Deputado de SP que apalpou colega volta ao mandado após suspensão

O deputado Fernando Cury foi suspenso por ter colocado a mão na altura do seio da também deputada Isa Penna durante uma sessão da Casa

0

De volta aos trabalhos. Assim foi marcada a quinta-feira (07) do deputado estadual Fernando Cury (Cidadania), que retomou a sua cadeira depois de passar 180 dias suspenso do cargo por conta de uma decisão da assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), que tomou a atitude devido ao episódio em que ele teria colocado a mão na altura do seio da também deputada Isa Penna (PSOL), durante uma sessão da Casa.

Um fato inusitado no caso é que o deputado também foi denunciado na esfera criminal onde o Ministério Público (MP) o acusa pelo crime de importunação sexual. Todavia, passados cinco meses do início do processo, a Justiça ainda não conseguiu notificar o deputado.

Em nota, o parlamentar comentou sobre o caso e afirmou que todos os seus endereços e agendas são públicos e de fácil acesso e que, por isso, aguarda a notificação.

fernando cury - deputado
O deputado Fernando Cury foi suspenso por ter colocado a mão na altura do seio da também deputada Isa Penna durante uma sessão da Casa. (Foto: reprodução)

Suspensão do deputado

Fernando Cury foi suspenso de seu cargo porque em dezembro de 2020, assim como publicou o Brasil123 à época, uma câmera de segurança da Alesp capturou o momento exato em que o parlamentar passou a mão na altura do seio da colega de casa, Isa Penna, durante uma sessão que discutia o orçamento do estado de São Paulo para 2021.

Desde o episódio, a defesa do deputado afirmou que ele “não teve a intenção de desrespeitar a colega do PSOL ou assediá-la”. Segundo os advogados, o caso foi “apenas um leve e rápido abraço”. Todavia, mesmo com a justificativa, Isa Penha denunciou o colega ao Conselho de Ética da Casa Legislativa propondo, inclusive, a cassação do mandato dele.

Por conta do pedido, inúmeras reuniões foram feitas e, após uma votação, concluiu-se que o correto seria uma pena mais branda em comparação à cassação. Com isso, o tema foi para o plenário da Alesp, e, por lá, em abril deste ano, decidiu-se que Fernando Cury seria suspenso com perda de mandato por 180 dias, uma decisão inédita na Casa.

Durante a suspensão, o mandato do deputado e as atividades de seu gabinete foram paralisadas. Em seu lugar entrou Padre Afonso (PV), que integrava a coligação que o elegeu e, durante esses 180 dias, pôde formar sua própria equipe.

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.