Criação de empregos formais no agro atinge maior nível desde 2012

Levantamento da CNA aponta abertura de 113 mil novos postos de trabalho com carteira assinada entre janeiro e maio deste ano

0

O setor de produção de alimentos alcançou uma ótima marca nos cinco primeiros meses de 2021. Isso aconteceu devido à criação de 113 mil empregos formais entre janeiro e maio deste ano. Este foi o melhor resultado para o período desde 2012.

A saber, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) realizou o levantamento com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. A entidade divulgou as informações nesta quarta-feira (7).

Em resumo, as cinco principais atividades do setor agropecuário que mais geraram postos com a carteira de trabalho assinada foram: café (13.644), laranja (9.090), cana-de-açúcar (4.148), criação de bovinos para corte (3.885) e serviço de preparação de terreno, cultivo e colheita (3.759).

Veja mais detalhes da criação de empregos formais

De acordo com as informações divulgadas, a região Sudeste do Brasil foi a que mais contratou em maio. A propósito, houve a criação de 39.120 novos postos de trabalho no Sudeste em maio. Um dos motivos que explica o forte resultado no mês é o início da colheita de algumas culturas permanentes na região. Dentre elas, destacam-se o café, a laranja e a cana-de-açúcar.

A título de comparação, a criação de empregos no setor de produção de alimentos em maio atingiu a marca de 42.426 oportunidades. Isso quer dizer que o Sudeste respondeu por 92,2% de todas as vagas formais criadas em maio deste ano. Na sequência vieram Nordeste (2.300 empregos), Centro-Oeste (1.449 empregos) e Norte (991 empregos). Em contrapartida, o Sul registrou uma perda de 1.334 vagas em maio.

O levantamento da CNA também analisou a criação de vagas por estado. Nesse caso, São Paulo manteve a liderança nacional, com 32.675 novos postos de trabalho criados. Em seguida, ficaram Minas Gerais (3.024), Rio de Janeiro (2.003), Espírito Santo (1.418) e Goiás (1.054).

Por fim, vale destacar que o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) começou a funcionar como um registro permanente de admissões e dispensa de empregados, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Leia Mais: Índices americanos renovam recorde nesta quarta-feira (7)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.