Bolsa do Povo: Prazo para inscrição de estudantes de baixa renda termina no sábado (16)

Acompanhe os detalhes do programa

0

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo está com as inscrições abertas até o próximo sábado (16) para o Programa Bolsa do Povo – Acolhe Saúde, que oferece 3.800 bolsas para estudantes de baixa renda das áreas de Ciências da Saúde e Biológicas.

A saber, até o momento, 7,2 mil pessoas já se inscreveram.

O Bolsa do Povo foi criado pelo Governo de São Paulo para auxiliar a população mais vulnerável impactada pela pandemia de COVID-19.

Somente nesta iniciativa, o Governo do Estado está viabilizando R$ 28,2 milhões em incentivos para estudantes de todo o estado, oferecendo subsídio financeiro para incrementar renda e incentivar a formação de alunos de cursos técnicos, tecnólogos e de graduação nessas áreas e que estejam matriculados do primeiro ao penúltimo ano.

Serão 1,2 mil bolsas para nível técnico, com subsídio de R$ 500 mensais; 1,5 mil para tecnólogo, no valor de R$ 650; e outras 1,1 mil para licenciatura e bacharelado, de R$ 750 cada.

Bolsa do Povo: Prazo para inscrição de estudantes de baixa renda termina no sábado (16)
Bolsa do Povo: Prazo para inscrição de estudantes de baixa renda termina no sábado (16) – Imagem: Divulgação

Como realizar a inscrição?

Os interessados devem acessar o site do Programa Bolsa do Povo, onde encontram maiores informações e devem acessar esse link para inscrição.

Os estudantes classificados serão convocados por meio de SMS e e-mail para comparecimento na Unidade de Saúde que optou, de acordo com o número de bolsas ou vagas disponíveis.

Como requisito, para participar do processo seletivo, os interessados devem estar inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), ter renda mensal familiar per capita de até meio salário mínimo nacional e estar regularmente matriculados em cursos das áreas citadas.

Os estudantes poderão atuar em 168 serviços da Secretaria de Estado da Saúde, entre hospitais, Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs), centros especializados e Departamentos Regionais de Saúde (DRS), em período de 20 horas semanais.

Qualificação

Além de fomentar a profissionalização, a iniciativa contribui ampliar e qualificar o atendimento aos cidadãos usuários dos Serviços Públicos de Saúde do Estado de São Paulo, tornando-o mais humanizado.

O balanço estimado é de 1,6 milhões de acolhimentos por mês.

“Este programa tem impacto social, econômico e assistencial, uma vez que estamos incentivando os estudantes dessas áreas a concluírem seus cursos, auxiliando financeiramente suas famílias e, ao mesmo tempo, contribuindo para melhorar o acolhimento nos nossos serviços ao viabilizarmos experiências em serviços de referência do SUS”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

Com informações do Portal do Governo do Estado de São Paulo

Veja ainda: Parcelas do Auxílio Emergencial: Valor depende do perfil da família e chega a R$ 375

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.