Bitcoin inicia semana em queda com expectativa de alta de juros nos EUA

Criptomoeda encerra primeira semana de 2022 em forte queda de 12% e trajetória descendente permanece no início desta semana

0

Após despencar cerca de 12% na primeira semana de 2022, o bitcoin continua sua trajetória descendente. A criptomoeda vem sofrendo com a fuga dos investidores dos ativos de risco. E isso acontece, principalmente, devido às expectativa de aumento de juros nos Estados Unidos.

A saber, a cotação do bitcoin estava negociado a pouco mais de US$ 41 mil na tarde desta segunda-feira (10). Aliás, a cripto chegou a cair para os US$ 39 mil na manhã de hoje, mas se recuperou parcialmente no decorrer do dia.

Vale destacar que a situação vivida pelo bitcoin nas últimas semanas é completamente diferente do que ocorreu em novembro do ano passado. Isso porque a maior e mais famosa criptomoeda do mundo atingiu uma máxima histórica no penúltimo mês de 2021, de US$ 68.643,10. De lá pra cá, a moeda digital já perdeu 40% do seu valor.

Em resumo, as variações do bitcoin são muito importantes para todo o mercado de criptomoedas. Isso porque o bitcoin é considerado um ativo de proteção justamente contra maiores variações no mercado de moedas digitais. No entanto, as notícias desta semana não foram positivas para as criptomoedas, em geral.

Ata do Fed e caos no Cazaquistão enfraquecem bitcoin

Toda a desvalorização do bitcoin vem acontecendo por dois motivos principais. Em primeiro lugar, o Federal Reserve (Fed), banco central dos EUA, definiu para março o encerramento dos estímulos na economia norte-americana. E a expectativa é que os juros no país subam mais fortemente do que o esperado neste ano.

Em suma, juros mais altos fazem os investidores migrarem dos ativos de risco para ativos tradicionais. Isso acontece porque os juros mais elevados tornam os títulos soberanos do país mais rentáveis e atrativos, e estes títulos são considerados o ativo mais seguro do planeta.

Então, os operadores não veem necessidade de buscar ativos mais arriscados, como as criptomoedas, quando pode ter boa rentabilidade com ativos seguros.

Além disso, o governo do Cazaquistão segue enfrentando uma onda de protestos. A situação ficou tão complicada na semana passada, que o governo ordenou o desligamento da internet. Além disso, o presidente autorizou os militares a atirarem nos manifestantes para matar.

A saber, o Cazaquistão é o segundo maior minerador mundial da moeda, respondendo por 16% de toda a mineração global. Em suma, mineração é o processo pelo qual se extrai um bitcoin por meio de uma série de cálculos bastante complexos para confirmar ou validar as transações realizadas.

Leia Mais: Exportações de carne bovina caem 7% em 2021

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.