Vamos falar de andropausa e hábitos saudáveis?

0

A andropausa, também chamada de “menopausa masculina” é marcada pela diminuição nos níveis de testosterona, o hormônio sexual masculino. O processo da queda dos níveis hormonais nos homens é mais lento e insidioso se comparado ao das mulheres. Acontece à medida que envelhecem, por volta dos 40 e 55 anos.⠀

Sintomas

A princípio, a andropausa é um período na vida do homem em que podem ocorrer sintomas que devem ser valorizados. Alguns deles são alterações na função sexual, como a disfunção erétil. Outro sinal pode ser a diminuição no tamanho dos testículos. Também ocorrem mudanças físicas como o aumento da gordura corporal, redução da massa e da força muscular, diminuição da densidade óssea, inchaço na região dos mamilos e perda de pelos do corpo. ⠀

Além disso, mudanças emocionais também são comuns, como a diminuição da motivação ou a autoconfiança, o que gera tristeza, problemas de concentração e de memória.

Como identificar a andropausa?

Nesse sentido, a andropausa pode ser facilmente identificada através de um exame de sangue que mede a quantidade de testosterona no corpo. Assim, homens com mais de 50 anos que apresentem sintomas devem consultar o endocrinologista.

Tratamento da andropausa

O tratamento da andropausa, geralmente, se dá com o uso de medicamentos que aumentam os níveis de testosterona no sangue, através de comprimidos ou injeções. Entretanto, o médico é quem deve avaliar e indicar o melhor tratamento.

Hábitos saudáveis

Além disso, é importante seguir hábitos de vida saudáveis como manter uma dieta equilibrada e variada, realizar exercícios físicos duas ou três vezes por semana, além de, no mínimo, dormir de sete a oito horas por noite.

Porém, em casos mais severos que apresentem sinais de depressão, pode ser necessário o acompanhamento de um profissional da psicologia ou o uso de antidepressivos. Também recomenda-se que os homens visitem regularmente o seu médico para verificar o estado de saúde.

Por fim, veja também: Andropausa: o que é, sintomas e tratamento. 

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.