Vacina para Rinite: Saiba quando ela pode ser indicada

Inflamação da mucosa nasal costuma piorar no inverno

0
Unsplash

O clima seco e a falta de umidade no ar contribuem para agravação de uma das doenças respiratórias mais comuns entre os brasileiros, a rinite.

A rinite, nada mais é do que um processo inflamatório da mucosa nasal, que pode inclusive ser crônica.

Além disso, ela pode ser originada por uma alergia, sendo assim, denominada como rinite alérgica, que acaba sendo induzida pela inalação de partículas alergênicas nos indivíduos predispostos. Já a rinite não alérgica pode ter como gatilho fatores hormonais, gravidez, associados à alimentação, inclusive, ao uso de drogas.

No inverno, devido ao uso de cobertores e roupas guardadas há muito tempo, a rinite alérgica costuma ser ainda mais frequente. Além disso, o clima seco contribui para a inflamação da mucosa.

Vacina como alternativa de tratamento

Na maioria das vezes, o controle ambiental é o tratamento mais comum para controlar as crises de rinite. Isso inclui minimizar a exposição do indivíduo aos agentes alérgenos, como por exemplo, os ácaros e fungos encontrados com frequência na poeira da casa, pólen e em outros elementos irritantes bem comuns do dia a dia.

Caso o controle ambiental não solucione a condição, a utilização de medicamentos por via oral ou sprays nasais com propriedades descongestionantes e antialérgicas pode ajudar. Já como último recurso para o tratamento da rinite, temos a vacina.

Denominada como imunoterapia específica, a vacina para o tratamento da rinite tem como função reduzir a sensibilização do indivíduo a determinados alérgenos.

Geralmente é necessária a administração de várias doses, porém, de forma gradativa e cada vez mais concentradas.

Os intervalos devem ser regulares, chegando a um longo período de um até cinco anos, de acordo com a resposta do paciente.

A imunoterapia pode ser indicada para pacientes que não tiveram sucesso com as outras alternativas medicamentosas, incluindo crianças acima dos cinco anos.

Além disso, há estudos que comprovam a remissão da rinite ou uma melhora significativa, devido à imunoterapia, garantindo que as crises sejam cada vez mais espaçadas.

Cirurgia para rinite

Outra alternativa, um tanto quando radical, é a cirurgia para rinite.

Ela é mais indicada para pacientes que possuem alterações anatômicas no nariz, obstrução nasal refratária e hipertrofia dos cornetos nasais.

Através deste procedimento pode haver uma melhora na respiração e consequentemente no grau de rinite.

Cuidados para prevenir as crises de rinite

Como destacado acima, o controle ambiental é uma das principais alternativas para prevenir as crises de rinite.

Esta ação inclui:

  • Aumentar a frequência da limpeza doméstica, a fim de diminuir a proliferação de ácaros;
  • Garantir ventilação e exposição ao sol de ambientes e objetos;
  • Substituir a varrição da casa pela aspiração de pó e sempre finalizar com uma passada de pano úmido;
  • Utilizar soro fisiológico para limpar e hidratar a mucosa nasal;
  • Trocar a roupa de cama, no mínimo, a cada duas semanas;
  • Utilizar umidificador de ar nos ambientes fechados;
  • Ingerir no mínimo dois litros de água por dia

Seguindo esses cuidados, as crises podem ficar mais espaçadas, além é claro, de buscar sempre uma ajuda profissional com o médico otorrinolaringologista.

Leia mais: Remédio natural para rinite alérgica: Dicas saudáveis

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.