Fibromialgia: Novo estudo sugere a autoimunidade da doença

O estudo foi realizado pelo Instituto de Psiquiatria, Psicologia e Neurociência do King's College London, em colaboração com a Universidade de Liverpool e o Instituto Karolinska

0
Unsplash

Caracteriza por uma intensa e generalizada dor em todo o corpo, fadiga e sofrimento emocional, a Fibromialgia é uma doença que atinge cerca de 150 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Recentemente, um novo estudo realizado pelo Instituto de Psiquiatria, Psicologia e Neurociência do King’s College London, em colaboração com a Universidade de Liverpool e o Instituto Karolinska, revelou que a condição pode ser autoimune, ou seja, causada pelo ataque do sistema imunológico às células saudáveis do corpo.

Ainda de acordo com o estudo, muitos dos sintomas da síndrome de fibromialgia são causados por anticorpos que aumentam a atividade dos nervos sensíveis à dor em todo o corpo, o que sugere que ela se origina no cérebro.

Para os pesquisadores, os sintomas da Fibromialgia, nada mais são do que uma consequência dos anticorpos do paciente.

Além disso, o estudo também demonstrou que as terapias que reduzem os níveis de anticorpos em pacientes são provavelmente tratamentos eficazes, inclusive, elas já estão disponíveis e são usadas para tratar outras doenças causadas por autoanticorpos.

 

Sobre a Fibromialgia

Denominada até então, como uma doença reumatológica, a Fibromialgia é caracterizada pela intensa e generalizada dor em toda a musculatura do corpo. Além disso, por ser uma síndrome, outros sintomas podem vir associados como fadiga, alterações do sono, distúrbios intestinais, depressão e ansiedade.

Mais comum no público feminino, a condição chega a afetar 1 em cada 40 pessoas em todo o mundo, sendo 80% mulheres.

Sua origem se dá por volta dos 25 e 55 anos, embora algumas crianças também apresentem a condição precocemente.

Tratamentos

O tratamento da fibromialgia é focado na redução das manifestações clínicas, como por exemplo, reduzir a dor, melhorar o sono, o condicionamento físico, além de tratar os problemas emocionais.

Como destacado acima, este estudo sugere tratamentos já disponíveis, que agem controlando os autoanticorpos, entretanto, os que atualmente são permitidos configuram-se em:

  • Exercícios aeróbicos suaves
  • Terapias medicamentosas
  • Sessões psicológicas

Vale ressaltar, que a fibromialgia é uma condição muito difícil de diagnosticar, inclusive, de tratar e controlar, visto que suas causas até então eram são desconhecidas.

Apesar de ser a primeira evidência da causa da doença, este estudo surge como esperança, de acordo com os próprios pesquisadores, afinal, aponta que um tratamento eficaz possa ser encontrado em um futuro relativamente próximo.

Famosos que convivem com a doença

A Fibromialgia ganhou destaque na mídia, após celebridades revelarem a condição.

Dentre elas, Lady Gaga, Dani Valente, Morgan Freeman e Sinead O’Connor lutam contra os sintomas da doença, que muitas vezes, os obrigam a cancelar os trabalhos e demais atividades sociais.

Veja também: Saiba como melhorar a fibromialgia

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.