Tenho uma perna mais grossa que a outra e agora?

0

Você tem uma perna mais grossa que a outra e se pergunta o motivo para isso? Isso acontece porque o seu lado dominante apresenta mais força muscular, mais precisão e maior rapidez na execução de tarefas. Essa dominância chama-se lateralização.

Nesse sentido, é comum em academias os alunos sentirem diferença de força, equilíbrio, coordenação e agilidade entre os lados de corpo. Normalmente, isso já vem desde quando criança, quando não é feito trabalhos de desenvolvimento motor, não se estimula corretamente a bilateralidade das tarefas, não se trabalha o equilíbrio.

Tratamento

Existe tratamento, mas dependendo do grau da diferença não se consegue alcançar 100% de resultado, mas uma boa amenização.

Por isso, um dos tratamentos indicados é o treino funcional, pois podemos utilizar movimentos diários como puxar, empurrar, agachar, girar, lançar entre outros, assim estimulando o sistema sensório-motor.

Além disso, outro tratamento muito eficaz e que se pode atrelar ao treino funcional são os movimentos unilaterais, que estimulam a coordenação neuromuscular. Além de que os exercícios unilaterais exigem maior controle motor e a concentração de uma quantidade maior de músculos estabilizantes das articulações.

Perna maior que a outra

Quando uma perna é maior que a outra chamamos de dismetria no comprimento ou discrepância. Essa é uma condição em que o comprimento de uma perna é diferente da outra (mais curto ou mais longo) por causa de um ou ambos serem alterados funcionalmente (músculo/postura) ou estruturalmente (osso/cartilagem).

Nesse caso, o tratamento de desigualdade no comprimento das pernas envolve muitas abordagens diferentes, que variam entre ser  funcional, estrutural ou até mesmo a combinação de ambas.

Vale lembrar que o nosso corpo é assimétrico. Então, é normal ter essa pequena diferença. Contudo, preste atenção na força que está colocando nas pernas. Afinal, o lado dominante sempre vai ser o mais forte. Se possível, faça exercícios na academia com acompanhamento.

Por fim, veja também: Exercícios para dor nas pernas: 3 dicas para melhorar a saúde. 

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.