Saiba quando o PIS/Pasep de quem trabalhou em 2021 vai estar disponível

Trabalhador costumava receber valor do benefício no ano seguinte ao trabalhado, mas governo mudou as regras do abono

0

Os diversos desafios atuais enfrentado no país faz os brasileiros contarem os dias para receber benefícios para complementar a renda. Muitos aguardam ansiosos o pagamento do 13º salário e do PIS/Pasep, por exemplo. Isso porque a renda extra ajuda os trabalhadores a pagar dívidas e tira um grande peso das suas costas.

Diante da inflação e dos juros altos, o real vem perdendo o poder de compra e dificultando a vida da população. Por isso, a expectativa pelo PIS/Pasep sempre é muito grande. Em resumo, o benefício pago pelo governo federal é considerado um 14º salário para os trabalhadores de baixa renda.

Com o valor podendo variar de R$ 101 a R$ 1.212, a depender da quantidade de meses trabalhados, as pessoas não veem a hora de receber o abono. No entanto, a espera tem ficado cada vez mais longa.

Em suma, o PIS/Pasep costumava ser pago sempre no ano seguinte ao trabalhado. Por exemplo, os trabalhadores do setor público ou do privado, com a carteira de trabalho assinada em 2019, receberam o abono salarial em 2020. E esse era o jeito que o benefício costumava ser pago no país.

Contudo, em 2020, com a chegada da pandemia da Covid-19, o governo alterou as regras do pagamento do benefício. Assim, em 2021, os trabalhadores não receberam o valor do PIS/Pasep referente ao ano-base 2020. Isso só aconteceu neste ano.

E os pagamentos vão continuar assim em 2022, ou seja, quem trabalhou no ano passado só terá acesso ao abono salarial em 2023. Da mesma forma, quem está trabalhando agora em 2022 só receberá o benefício em 2024, pelo menos se não houve mudança nas regras do benefício.

Caixa Tem: empréstimos de até R$ 3 mil; veja como solicitar

Veja se você tem direito ao PIS/Pasep 2021

O trabalhador que tem direito ao saque do PIS/PASEP precisa atender os seguintes requisitos:

  • Ter trabalhado por pelo menos 30 dias no ano de 2021;
  • Ter recebido, em média, até 2 salários mínimos por mês com carteira assinada;
  • Possuir inscrição no PIS ou Pasep há pelo menos 5 anos, contados até 2021;
  • Estar com os seus dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) ou eSocial.

Em síntese, os trabalhadores formais do setor privado que tiverem direito ao PIS recebem o valor pela Caixa Econômica Federal. Já os trabalhadores do setor público recebem o Pasep através do Banco do Brasil.

Veja ainda: Seguro-desemprego: saiba as regras desse benefício

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.