Preço dos imóveis residenciais sobe 0,48% em abril; veja os locais mais caros

Levantamento do FipeZap revela que preço de venda avançou em 13 das 16 capitais pesquisadas; São Paulo permanece como a mais cara do país

0

preço de venda de imóveis residenciais subiu 0,48% em abril deste ano, variação levemente inferior a de março (0,55%). Os dados fazem parte do Índice FipeZAP+, divulgado nesta quarta-feira (4).

Em suma, o índice analisa o comportamento do mercado imobiliário em 50 cidades do Brasil e divulga uma média de variação mensal ao se basear em anúncios na internet.

A saber, a variação de abril veio três vezes menor que a prévia da inflação para abril (1,73%). Da mesma forma, o IGP-M, considerado a inflação do aluguel, também teve uma variação superior no mês passado, de 1,41%.

De acordo com o levantamento, 13 das 16 capitais pesquisadas tiveram alta em suas taxas. Os maiores avanços vieram de Goiânia (+2,52%), Campo Grande (+2,13%), João Pessoa (+1,48%), Vitória (+1,37%), Curitiba (+1,29%) e Recife (+1,25%).

Em seguida, ficaram Florianópolis (+0,91%), Fortaleza (+0,65%), Salvador (+0,55%), São Paulo (0,51%), Belo Horizonte (+0,34%), Porto Alegre (+0,33%) e Rio de Janeiro (+0,29%).

Em contrapartida, o preço dos imóveis caiu em três capitais: Manaus (-1,33%), Brasília (-0,84%) e Maceió (-0,09%).

Taxa acumulada em 12 meses chega a 6,29%

A saber, o Índice FipeZAP+ acumula um avanço de 6,29% nos últimos 12 meses encerrados em março. Embora a taxa seja expressiva, ficou bem distante das variações acumuladas pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) (+1466%) e pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) (+12,03%).

No últimos 12 meses, as capitais que registraram os maiores avanços foram: Vitória (+24,09%), Goiânia (+20,91%), Florianópolis (+15,64%) e Maceió (+15,50%).

Por fim, o preço médio para as 50 cidades monitoradas pelo Índice FipeZAP+ encerrou o mês de abril em R$ 8.017 por metro quadrado (m²). Em resumo, São Paulo permaneceu com o maior valor (R$ 9.882/m²). Na sequência ficaram Rio de Janeiro (R$ 9.729/m²), Vitória (R$ 9.140/m²), Florianópolis (R$ 8.656/m²) e Brasília (R$ 8.656/m²).

Em contrapartida, os menores preços médios vieram de Campo Grande (R$ 4.870/m²), João Pessoa (R$ 5.136/m²), Goiânia (R$ 5.550/m²), Salvador (R$ 5.478/m²) e Manaus (R$ 5.818/m²).

Leia Também: Reajustes na conta de luz podem ser suspensos; entenda

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.