PIS/PASEP: Veja como resgatar valor esquecido do abono

Cerca de 320 mil trabalhadores não sacaram o benefício referente a 2019

0

Nada menos do que um total de R$ 208 milhões do Abono Salarial do PIS/PASEP de anos anteriores estão disponíveis aos trabalhadores para saque desde o dia 31 de março.

Segundo o Ministério do Trabalho e Previdência, cerca de 320 mil trabalhadores deixaram de sacar o abono referente ao ano-base de 2019 no tempo devido, tenha sido por esquecimento ou por ter optado efetivamente por não sacar.

Vale destacar que o prazo seria entre julho de 2019 e junho de 2020, no entanto, estes trabalhadores receberam agora uma nova chance para resgatar o “valor esquecido”.

PIS/PASEP: Veja como resgatar valor esquecido do abono
Abono Salarial – Foto: Reprodução

PIS/PASEP ano-base 2019

Como mencionado, foi concedido um novo prazo. Originalmente, o prazo para resgatar os “valores esquecidos” seria em fevereiro, mas o governo determinou a nova data a partir do dia 31 de março.

E atenção! Os valores aos quais estamos nos referindo são do ano-base 2019, certo?

Isto é, trata-se de uma operação diferente da liberação realizada neste ano, relacionada ao ano-base 2020, e que ainda permite os saques até o dia 29 de dezembro.

Quem tem direito faz o que para sacar o abono?

Você é uma dessas pessoas que não resgatou o valor e tem direito ao abono PIS/PASEP? Então saiba que para receber, precisará fazer uma solicitação.

Para tal, portando um documento com foto, você deve se encaminhar até uma das unidades regionais do Ministério do Trabalho, ou então enviar um e-mail para o endereço [email protected], colocando no lugar de “uf” a sigla do estado em que o você reside.

E mais um ponto de atenção! Quando realizada a solicitação, o trabalhador recebe o prazo até o dia 29 de dezembro para sacar. Se não o fizer, terá uma nova chance apenas no calendário do próximo ano.

Leia ainda: Auxílio Brasil chega com parcela maior em junho; veja detalhes

Mas afinal, quem tem direito?

A saber, tem direito ao abono salarial de 2019 quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais com carteira assinada e exerceu atividade remunerada durante, pelo menos, 30 dias naquele ano.

Ainda mais, é preciso que o trabalhador já estivesse inscrito no PIS/Pasep há pelo menos 5 anos naquele ano, e com os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) ou eSocial, conforme categoria da empresa.

Lembrando que o PIS é destinado aos trabalhadores do setor privado e é pago na Caixa Econômica Federal, e o Pasep é pago para servidores públicos por meio do Banco do Brasil.

Confira ainda:  Restituição do Imposto de Renda: 2º lote tem pagamento em junho; veja a data

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.