Petróleo sobe após forte queda dos estoques americanos

Preços dos barris superam os US$ 82 em meio à pouca confiança do mercado sobre a Opep+ conseguir atender a demanda nos próximos meses

0

Os pregões de janeiro estão quase totalmente azulados para o petróleo. Isso porque a commodity encerrou quase todas as sessões em alta. E isso também ocorreu nesta quarta-feira (12), em meio a divulgação de dados dos estoques dos Estados Unidos de petróleo.

A saber, os contratos futuros para março do barril de Brent, que é a referência mundial, subiram 1,13%. Com isso, o barril do petróleo chegou aos US$ 84,67 na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres. Aliás, o Brent acumula alta de quase 9% em 2022.

Da mesma forma, os contratos para fevereiro do petróleo West Texas Intermediate (WTI), referência norte-americana, também tiveram alta no pregão (+1,74%). Assim, o barril fechou o dia cotado a US$ 82,64 na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex). No ano, o WTI acumula ganhos de 7,3%.

Em resumo, ambos os valores já superaram o nível registrado no final de novembro, quando ambas as referências tombaram mais de 10% devido ao temor provocado pela Ômicron. À época, notícias sobre a nova variante fizeram o preço do petróleo despencar.

No entanto, as mais recentes notícias de recorde diário de casos em todo o mundo não está afetando os preços da commodity. Em suma, os investidores seguem otimistas com o futuro, acreditando que os impactos provocados pela variante Ômicron ocorrerão apenas no curto prazo.

Estoques de petróleo nos EUA caem menos que o esperado

Deixando a Ômicron de lado, os investidores repercutiram no dia a divulgação de dados sobre os estoques norte-americanos de petróleo. Em suma, houve uma queda de 4,553 milhões de barris na semana passada, para 413,298 milhões de unidades.

A saber, redução superou em mais de duas vezes as projeções dos analistas, que acreditavam em uma redução de 2,1 milhões de barris na semana. O Departamento de Energia dos EUA (DoE, na sigla em inglês) divulgou os dados nesta quarta.

Por outro lado, os estoques de gasolina tiveram alta de 7,961 milhões de barris. Nesse caso, o crescimento superou em muito a expectativa de alta do mercado, de 2,3 milhões de unidades. Com o acréscimo desses barris, os estoques da gasolina dos EUA chegaram a 240,748 milhões de barris no período.

Por fim, muitos investidores continuam desconfiados da Organização dos Países Produtores de Petróleo e seus aliados (Opep+). A entidade já revelou que irá elevar a sua produção diária em fevereiro, apostando na melhora a curto prazo do cenário global com a Ômicron. Contudo, a desconfiança sobre a capacidade da Opep+ de suprir a demanda por petróleo segue impulsionando os preços do petróleo nos últimos pregões.

Leia Mais: Produção industrial na zona do euro cresce 2,3% em novembro

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.