Investir ou criar reserva de emergência: Qual fazer primeiro?

Não tenha mais dúvidas sobre o que fazer com seu dinheiro extra, confira as dicas

0

Eis a grande dúvida: Investir ou criar reserva de emergência: Qual fazer primeiro. Hoje, nós pretendemos responder esta pergunta e tirar as suas dúvidas aqui no Brasil 123.

A boa notícia é que você pode fazer os dois juntos. Criar uma reserva de emergência e investir ao mesmo tempo. Como assim? A reserva de emergência é um valor que você deverá guardar para utilizar em imprevistos que podem ocorrer em qualquer tempo. Mas você pode, além de guardar, investir este dinheiro e fazer ele render, ou pelo menos manter o seu poder de compra.

O que você deve considerar para criar uma reserva de emergência?

Ao criar uma reserva de emergência, você precisa considerar que este valor tenha acesso a qualquer momento que você precisar para bancar os custos de um imprevisto. Assim, você não irá comprometer o seu orçamento familiar mensal.

Saiba que a reserva de emergência ideal deverá atender às suas necessidades mensais entre 6 e 12 meses. Este fator é desanimador, mas pense, se você não começar, jamais conseguirá chegar nesses valores necessários.

Veja: se os seus gastos mensais são de R$3.000,00, a sua reserva de emergência ideal deverá conter o valor entre R$18.000,00 e R$36.000,00. Comece estabelecendo metas menores, e quando você atingir a meta, aumente o valor da meta até atingir os valores ideais.

O que influencia o valor da reserva de emergência?

Se você considerar o seu emprego, e estiver registrado por mais de 2 anos, em caso de demissão, você receberá todos os seus direitos trabalhistas e pode garantir uma reserva de emergência de 6 meses. Mas, se você for um profissional autônomo ou trabalha de forma informal, precisa considerar aumentar a sua reserva de emergência, principalmente se o seu trabalho envolve riscos maiores de acidente, por exemplo.

Assim, outro fator que influencia, é a sua tranquilidade quando for dormir. Ou seja, o seu perfil pessoal é que indicará a quantidade de dinheiro que você precisa guardar para emergência.
Outro fator é o número de pessoas que dependem financeiramente de você. Quanto maior é o número de pessoas, maior deverá ser a sua reserva de emergência.

Você pode, além de guardar, investir este dinheiro e fazer ele render - Reprodução AdobeStock
Você pode, além de guardar, investir este dinheiro e fazer ele render – Reprodução AdobeStock

Como investir a sua reserva de emergência?

Não resolve simplesmente guardar o dinheiro para utilizar em emergências, se a sua intenção é somente guardar, você pode investir na caderneta de poupança, o que não é recomendado. Você pode fazer o seu dinheiro guardado render e assim, ajudar a aumentar a sua reserva de emergência. O mínimo que você precisa fazer é garantir o poder de compra do seu dinheiro.

Assim, as opções são os investimentos de renda fixa, que estão vinculados à taxa de juros ou ao índice de preços do mercado. Você protegerá o seu dinheiro da inflação, e aproveitará que os juros estão em alta, para ganhar mais pelo seu investimento.

Não esqueça: faça investimentos com a sua reserva de emergência que tenham liquidez diária (você retira quando precisar), tenha baixa volatilidade (pouca alteração entre o preço de compra e de venda dos títulos), e tenha rendimentos que acompanham a inflação.

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.