Inflação cresce no Brasil e atinge 8 em cada 10 itens pesquisados pelo IBGE

Índice de difusão se aproxima dos 80%, nível bastante raro de ser ver; expectativa é que inflação permaneça firme pelos próximos meses

0

A inflação no Brasil teima em não cair. Em abril, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) subiu 1,73%, maior avanço para o mês em 27 anos. A saber, o indicador é considerado a prévia da inflação oficial do país.

De acordo com os dados do IBGE, responsável pela pesquisa, o índice de difusão da inflação chegou a 78,7% em abril. Em resumo, esse indicador mede a quantidade de produtos e serviços que sofreram pressão inflacionária, ou seja, cujos preços subiram em relação ao mês anterior.

Nesse caso, quase oito em cada dez itens pesquisados ficaram mais caros em abril, na comparação com março. Esse é o maior patamar desde fevereiro de 2003 (78,9%) e mostra o quão difusa e espalhada está a inflação no Brasil.

“Um índice de difusão maior representa que o processo inflacionário está mais disseminado, dificultando o seu controle”, disse Felipe Sichel, economista-chefe do banco Modal, que fez o levantamento sobre o índice de difusão a partir dos dados do IPCA-15.

Índice de difusão acima de 75% é raro

Segundo o estudo do banco Modal, 289 dos 367 itens pesquisados pelo IBGE ficaram mais caros em abril do que em março (78,75%). A partir desse dado que o banco chega ao índice de difusão, mostrando o percentual de itens cujos preços subiram.

A saber, o levantamento mostra que índices de difusão superiores a 75% são raros. Aliás, desde o final de 1999, quando o banco Modal iniciou o estudo, o índice superou essa marca apenas 11 vezes. Em suma, o pico histórico ocorreu em dezembro de 2002 (86,7%).

“O índice está superalto, quase encostando em 80%. Acima de 70% é raramente visto. Isso mostra o espalhamento das pressões inflacionárias. A inflação está bem espalhada entre todos os segmentos de despesas”, disse André Braz, coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre).

Para a tristeza da população, a expectativa é que a inflação permaneça em níveis elevados pelos próximos meses. No entanto, vale destacar que ela deverá desacelerar, dando um pouco de alívio à população.

“Mais do que dizer se o índice de difusão subirá mais ou menos, pode-se dizer que o índice de difusão tão elevado provavelmente indica que a inflação ficará pressionada pelos próximos meses“, disse Sichel.

Leia Também: Veja alguns efeitos dos juros altos no Brasil e se proteja

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.