Ibovespa sobe no final do pregão em dia marcado por tensões internas

Questões sobre os preços dos combustíveis estiveram mais uma vez na sessão

0

O Ibovespa fechou o primeiro pregão de março com uma leve alta de 0,27%, aos 110.334 pontos. E, nesta terça, conseguiu emendar a segunda alta seguida (1,09%), chegando aos 111.539 pontos. Apesar destes avanços, a parcial do ano continua com o saldo negativo (-6,28%). No entanto, vale dizer que estes resultados positivos já são uma boa notícia, após as perdas registradas em fevereiro.

Em resumo, a Petrobras sofreu diversas interferências políticas recentemente. Isso provocou medo entre os investidores, que temiam elevação da ingerência governamental em outras estatais. Para lembrar, o presidente Jair Bolsonaro afirmou há algumas semanas que o governo federal pretendia modificar a estrutura de tributação do setor de combustíveis. De acordo com ele, pensou-se num projeto para estabelecer um valor fixo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre combustíveis e energia.

Assim, para tentar reduzir os preços do diesel, o governo decidiu aumentar impostos sobre os bancos. Aliás, essa medida tem o objetivo de zerar R$ 3,6 bilhões em tributos sobre diesel e gás de cozinha. E as instituições financeiras foram escolhidas para repor este corte de tributos, o que aumentou o receio da naturalização das intervenções políticas. O Ibovespa chegou a afundar 2,75% no início do pregão. Mas a situação mudou nas últimas horas da sessão.

Em suma, a PEC Emergencial, que irá votar o retorno do auxílio emergencial, muito provavelmente na próxima quinta-feira (4), trouxe novidades. Agora, gatilhos para conter gastos federais devem ser incluídos no projeto para a liberação de novas parcelas do benefício. E isso acabou reduzindo um pouco do forte temor em perfurar o teto de gastos. Dessa forma, o índice conseguiu reverter a queda e fechou a sessão no azul.

 

Veja mais detalhes do Ibovespa no dia

No fechamento, 49 das 81 ações que compõem a carteira do Ibovespa registraram ganhos, movimentando, ao todo, R$ 35,8 bilhões. Isso representa uma elevação de 32% na comparação com a média diária em 2021, que está em R$ 27 bilhões.

Dessa forma, as ações que tiveram os ganhos mais expressivos foram: Itaú Unibanco PN (4,04%), Banco do Brasil ON (3,84%), Santander Brasil units (3,14%), Vale ON (3,07%) e B3 ON (3,05%). Nesse caso, vale ressaltar que, após o susto inicial, os bancos reagiram e fecharam o dia no azul. Isso puxou o Ibovespa pra cima, visto que os papéis dos bancos representam cerca de 30% da carteira do índice. Alta dos preços do minério de ferro também impulsionou os ganhos do dia.

Por fim, do lado das quedas, as mais expressivas ficaram com: Braskem PNA (-4,00%), Azul PN (-3,15%), GPA ON (-3,04%), Gol PN (-2,95%) e Yduqs ON (-2,92%). A queda das ações da Brasken é reflexo da retirada de estímulos tributários, por parte do governo, do setor petroquímico.

 

LEIA MAIS

Indicador de incerteza da economia cai 9,2 pontos em fevereiro, aponta FGV

Mais de 75 mil lojas do varejo encerram suas atividades em 2020

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.