Ibovespa dispara nesta quarta (22) com alívio no exterior

Acordo da Evergrande, alta do minério de ferro e decisão dos bancos centrais figuram como os principais assuntos repercutidos no pregão

0

O Ibovespa fechou a sessão desta quarta-feira (22) em forte alta de 1,84%, aos 112.282 pontos. Assim, reduziu as perdas em setembro para -5,47%. E o que impulsionou o principal índice acionário da bolsa brasileira foi o alívio vindo do exterior após o temor do início da semana.

Em resumo, a Evergrande, segunda maior companhia do setor imobiliário da China, possui a maior dívida de ativos do mundo, na ordem de US$ 300 bilhões. O risco de calote nos credores causou pânico na última segunda (20), com as bolsas mundiais afundando, inclusive a brasileira.

A saber, os investidores puderam respirar um pouco mais aliviados nesta quarta graças ao anúncio da Evergrande sobre o pagamento dos juros de uma dívida vencida. O acordo é pequeno na comparação com toda a dívida da companhia, e o risco de falência continua alto. No entanto, esse pagamento acalmou os temores globais sobre o calote, pelo menos por enquanto.

Além disso, o preço do minério de ferro saltou 16,8% nesta quarta. O ótimo resultado contrasta com todas as recentes quedas da commodity, que chegou a ter uma valorização de quase 50% em maio, mas perdeu quase 60% deste pico até o início desta semana. Seja como for, o alívio trazido pela Evergrande impulsionou a cotação do minério no dia.

O mercado também ficou atento às reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) e do Federal Reserve (Fed), BC dos Estados Unidos. Ambos os banco fizeram o que era esperado pelo mercado. Enquanto o Copom elevou a Selic para 6,25% ao ano, quinta alta seguida, o Fed manteve os juros em níveis baixíssimos, mas sinalizou a redução dos estímulos na economia norte-americana.

Apenas 25 das 91 ações do Ibovespa caem no dia

Com tudo isso acontecendo e o alívio trazido, em especial, pela Evergrande, os investidores foram às compras. Assim, apenas 25 das 91 ações do Ibovespa encerraram o dia no vermelho. Ao todo, entre compras e vendas, os papéis do índice movimentaram R$ 27 bilhões, valor superior à média diária de 2021, de R$ 23 bilhões.

Entre os maiores avanços do dia, os mais expressivos vieram de: Usiminas PNA (8,70%), Azul PN (8,19%), Cielo ON (7,79%), Petro Rio ON (7,48%), Metalúrgica Gerdau PN (5,90%) e Gerdau PN (5,77%). No dia, os principais destaques foram das ações ligadas ao minério de ferro. Inclusive, os papéis da Vale, que detém a maior fatia do Ibovespa, cerca de 13%, saltaram 3,55% no dia.

Em contrapartida, os tombos mais intensos ficaram com: Hapvida ON (-3,89%), Intermédica ON (-3,88%), Via ON (-2,39%) e Braskem PNA (-2,07%). A forte queda dos papéis da Hapvida aconteceram após a empresa ser citada na CPI da Covid. Inclusive, a Intermédica, com a qual a Hapvida tenta uma fusão, também afundou no dia.

Leia Mais: Dólar encerra o dia em alta com mercado de olho no exterior

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.