Gás natural subirá 19%. Como isso afeta você?

0

A Petrobrás reajustou o preço do gás natural em 19% na tarde de ontem, 29. A medida começa a valer a partir do primeiro de dia de maio, em todo território nacional. A alta do preço impactará principalmente quem usa o GNV e também quem tem gás encanado em casa. Contudo, a alta também afeta quem não tem esses serviços, mas em menor escala.

A alta do gás natural vem por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia. Com isso, a vida do brasileiro pode ficar um pouco mais cara, mesmo que os percentuais desse reajuste sejam pequenos para o consumidor. Por outro lado, esse aumento não tem relação com o preço do botijão de gás.

Gás natural mais caro

A Petrobrás anunciou um reajuste de 19% no preço do gás natural. Esse aumento será apenas para as distribuidoras, que posteriormente farão os reajustes de preço aos consumidores. No Rio de Janeiro, a alta para o consumidor chegará a 7%, segundo a Naturgy. Para os demais estados, especialistas calculam uma alta de 4%.

O intuito da estatal é manter a previsibilidade dos contratos e atenuar a volatilidade do mercado mundial. Isso porque o momento é de tensão na geopolítica, o que vem afetando o preço desse bem. A Rússia, uma das maiores produtoras de gás natural do mundo, está em guerra com a Ucrânia e, com isso, o preço do gás natural subiu muito no mercado internacional. E o problema não é apenas no Brasil. Na Alemanha, o preço do produto já subiu mais de 30% no ano. Por lá, o gás natural é a principal fonte energética da população.

Por aqui, os preços tendem a subir em toda a economia, com diferentes impactos. Isso porque o gás natural é uma matriz importante para o GNV, para quem tem gás encanado em casa e também para diversas indústrias.

gás natural
Foto: Geraldo Kosinski / Agência O Globo

Consumidor prejudicado

A alta do gás natural para as distribuidoras não passará longe do consumidor. Contudo, os impactos para quem compra é bem menor que o impacto das distribuidoras. Apesar disso, esse é mais um fator que deve impactar na alta da inflação em maio. O IPCA, nos últimos 12 meses, já ultrapassa os 12%, a maior inflação em décadas.

No Rio de Janeiro, quem tem gás encanado em casa terá um aumento de 7% no custo mensal. Para os demais consumidores, é esperado um reajuste de 4%. Além disso, motoristas de aplicativos, taxistas e meios de transportes que usam o GNV terão aumento nos custos, o que pode aumentar o frete em toda a economia. Aqui, o impacto é para todo mundo.

Além disso, muitas indústrias usam o gás natural para produzir seus produtos. Com o aumento dos preços, os produtos tendem a ficar mais caros, também impactando o consumidor final. Por isso, o aumento do preço desse bem afeta toda a economia, da mesma forma que a gasolina e a energia elétrica. A alta do gás natural valerá até 31 de julho.

1/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.