Fala de Bolsonaro sobre nível de preparo dos trabalhadores repercute

Nas redes sociais, fala do presidente sobre o nível de preparo dos trabalhadores brasileiros repercutiu. Aqui o que se sabe sobre o assunto

1

“Uma parte considerável (dos brasileiros) não está preparada para fazer quase nada”. Essa foi a fala do presidente Jair Bolsonaro ao comentar o nível de desemprego nesta semana. Como não poderia deixar de ser, a frase causou repercussão.

Nas redes sociais, as pessoas se dividiram sobre o tema. Parte dos internautas afirmou que o presidente está errado e que a taxa de desemprego não teria relação com o despreparo. Mas outra parte acredita que o presidente apenas fez um diagnóstico real do problema.

Preparo

De acordo com dados da Associação Brasileira de Estágios (Abres) o mercado de trabalho no Brasil, em geral, não recebe trabalhadores com preparo mínimo. Segundo os dados, dos 9,3 milhões de estudantes do ensino médio e técnico no Brasil, apenas 260 mil estagiam.

Isso representa portanto 2,7% do total. No nível superior a coisa não muda muito de figura. Dos 8,2 milhões de universitários, apenas 740 mil estagiam de fato na área de estudo. Isso representa 8,9% do total dos estudantes.

Esses dados são de fevereiro de 2019. Seja como for, eles são os mais recentes. Como se sabe, o estágio é importante porque é ele que vai preparar o estudante na prática para o mercado do trabalho no Brasil.

Desemprego

Mas o problema da fala do presidente Bolsonaro talvez seja a relação que ele faz com o desemprego no Brasil. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desemprego no Brasil no terceiro trimestre de 2020 foi de 14,3%. É portanto uma taxa muito alta.

Para se ter uma ideia, no mesmo período essa taxa foi de 6,2% em 2013, quando o Brasil também tinha problemas de despreparo dos trabalhadores. Assim, especialistas afirmam que os dados provam que um dado não necessariamente tem relação com o outro.

Seja como for, a fala do presidente segue dividindo opiniões nas redes sociais.

Leia Também:

1 comentário
  1. […] presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) editou uma Medida Provisória (MP) que flexibiliza regras para a compra de vacinas e insumos. […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.