Entenda melhor os estágios e a dor do luto

0

O luto é um processo normal, saudável e necessário para a cicatrização e elaboração das feridas provocadas a partir da morte de um ser querido ou até simbólico. A princípio, esse processo não é fácil, é tarefa árdua e ocorre de maneira gradual.

Sim, não há dúvidas que a dor da perda é custosa emocionalmente. É certo que não há receitas prontas de como lidar com a dor da perda. Afinal, o processo da dor é um fenômeno totalmente subjetivo, ou seja, cada pessoa vivencia de forma diferente e singular. A exemplo, o padrão de apego desenvolvido na infância e o meio cultural em que está inserido podem ter grande influência na maneira que será vivenciado e enfrentado o luto.

Cabe salientar a necessidade de diferenciar a presença de um luto normal de um complicado. Aquele considerado normal é esperado e bem caracterizado. Porém, o limite para atingir o luto complicado se encontra na falta de superação e na permanência prolongada deste estado, com manifestações acentuadas e devastadoras.

Estágios do luto

Quando falamos em estágios, as pessoas logo pensam que são processos duradouros de semanas, meses ou até anos, mas não.  Ao contrário, os estágios são respostas de sentimentos que podem durar horas ou minutos conforme entramos e saímos de um e depois de outro. Não entramos e saímos de estágios de forma linear, mas sim podendo sentir um, depois o outro e voltar ao primeiro. Veja:

  • Negação: é o primeiro processo. Nós não aceitamos o que está ocorrendo e tentamos negar tudo, entramos em estado de choque.
  • Raiva: esse estágio é essencial, pois quanto mais sentimos raiva de toda a situação de perda, mais rápido conseguimos administrar esse sentimento. A raiva pode ser transferida pra qualquer pessoa que estiver ao lado seja os médicos, amigos ou familiares, pois a raiva não tem limites.
  • Barganha: nada mais é do que o ato de tentar fazer qualquer coisa para que a pessoa que se foi volte, como fazer promessas. A culpa normalmente acompanha a barganha. Então, o indivíduo se sente culpado e acha que se tivesse feito diferente não teria perdido a pessoa.
  • Depressão: é quando nossa atenção se volta para o presente e sentimos o vazio e a falta da pessoa. Sentimos dor e parece que o sofrimento irá durar pra sempre, mas esta depressão pós- morte não é sinal de doença mental, ela é a resposta de uma grande perda.
  • Aceitação: este estágio não é sobre estar bem por ter perdido alguém, mas sim sobre ter aceitado a realidade e entender que essa pessoa se foi pra sempre.

Você tem vivenciado o processo de algum luto? Ele é real ou simbólico?

Por fim, veja também: Cansaço? Pode ser falta de água.

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.